RFID Noticias

Rede IoT torna desfibrilador sempre disponível

Sistema de monitoramento de dispositivos médicos ajuda a localizar equipamentos em emergências e controla a condição de cada item automaticamente

Por Claire Swedberg

5 de dezembro de 2018 - A startup de tecnologia de monitoramento de dispositivos médicos CardiLink tem uma nova solução para fabricantes de dispositivos médicos que permite um serviço de valor agregado que monitora a localização e o status dos desfibriladores externos automáticos (DEAs) à medida que são implantados em locais públicos e em todos os campi corporativos. A solução emprega a tecnologia de conectividade sem fio IoT Connect da Asavie para identificar onde os dispositivos estão localizados e, também, saber se estão em boas condições de funcionamento.

A plataforma de software baseada em nuvem da CardiLink captura, armazena e analisa dados referentes a cada DEA. A tecnologia pode então ser usada para alertar o pessoal de serviço, fornecer cronogramas para manutenção ou inspeção e informar a segurança se um DEA deixar a área. Até o momento, um único fabricante global de DEAs, a Cardia International, da Dinamarca, está se preparando para oferecer o serviço a seus clientes.

A CardiLink foi fundada para produzir dispositivos médicos conectados, diz Lars Wassermann, CEO da empresa. A companhia começou a oferecer sua solução em maio deste ano, inicialmente visando aos dispositivos de DEA devido à necessidade de maior controle dessas ferramentas potenciais para salvar vidas. Wassermann tem formação em engenharia e diz que fundou a empresa com base em pesquisas que realizou com um professor local sobre falhas nos mercados de dispositivos médicos. As regulamentações em muitas partes do mundo exigem que as empresas forneçam um histórico de manutenção de seus DEAs.

DEAs são dispositivos eletrônicos que podem tratar parada cardíaca súbita por meio da aplicação de eletricidade no peito do paciente. Eles são normalmente montados em muitos edifícios e espaços públicos, para uso em caso de emergência cardíaca. A maioria nunca é usada, ou raramente é assim, mas quando são necessárias, a vida de um indivíduo depende de seu funcionamento adequado. "Tudo se resume a manutenção", diz Wassermann.