RFID Noticias

Varejistas japoneses testam tags com tinta eletrônica

A nova etiqueta RFID UHF com papel e-ink pretende aumentar a eficiência logística no mercado de lojas de conveniência do Japão

Por Claire Swedberg

23 de outubro de 2018 - Com o objetivo de melhorar a eficiência e a exatidão logística, reduzindo o uso de papel por varejistas japoneses de lojas de conveniência, duas empresas de tecnologia criaram uma etiqueta inteligente de tinta eletrônica (e-ink) que exibe dados que podem ser atualizados via transmissão RFID UHF. As tags não precisam de bateria, em vez disso usam energia descartada durante a interrogação RFID para capturar, armazenar e exibir dados de tinta eletrônica. A E Ink Corp. e a Fujitsu Semiconductor anunciou a sua mais nova solução este mês para impulsionar a logística das lojas de conveniência. A longo prazo, afirmam, a solução pode ser usada não apenas para etiquetas de logística, mas também para crachás de e-paper, cartões de identificação e etiquetas eletrônicas de prateleira.

A tecnologia, que será oferecida para fornecedores de soluções na forma de uma placa de design de referência, está sendo testada em uma versão protótipo por vários varejistas japoneses. A Toppan Printing está usando as tags Fujitsu Semiconductor UHF FRAM RFID LSI.

Naoki Sumita, da E Ink Japão
A E Ink foi gerada dentro do MIT Media Lab em 1997 com os primeiros e-papers (papéis eletrônicos). A empresa fabrica produtos para marcas e fabricantes globais. Em 2009, a empresa foi adquirida pela Prime View International, de Taiwan, cujos produtos incluem e-readers, etiquetas eletrônicas de prateleira, e-notes, dispositivos móveis de papel eletrônico e sinalização digital.

As lojas de conveniência estão presentes em todo o Japão, oferecendo de tudo, desde produtos de beleza a saúde e lanches. Com uma média de cerca de 100 metros quadrados, essas lojas de bairro são ágeis o suficiente para mudar seu estoque para atender às demandas inconstantes dos consumidores locais em questão de dias. Portanto, os estoques avançam rapidamente dos centros de distribuição para essas pequenas frentes de comercialização.

À medida que as lojas de conveniência se tornam cada vez mais populares, há também uma escassez de mão de obra para gerenciar a logística. "Devido à falta de mão de obra, a indústria está sob pressão para otimizar sua operação geral de logística", diz Naoki Sumita, presidente da E Ink Japan. Ao possibilitar a atualização de informações de tags à medida que um produto passa pela cadeia de suprimentos, explica, os funcionários de armazém e outros funcionários de logística gastarão menos tempo verificando estoques, digitalizando códigos de barras ou inserindo informações manualmente. Além disso, o objetivo é reduzir o desperdício de papel. "Esta etiqueta RFID substituirá a etiqueta de papel existente", afirma, "o que contribuirá para a redução do uso de papel".