RFID Noticias

Kerlink leva LoRaWAN para Escócia e Japão

Os provedores de rede e tecnologia estão contratados para fornecer hardware, rede, software e aplicativos para soluções baseadas em IoT

Por Claire Swedberg

8 de outubro de 2018 - A Kerlink assinou vários contratos que expandirão o alcance global da empresa com suas soluções de Internet das Coisas (IoT) para rastreamento de dados de sensores e movimentação de veículos ou ativos por gateways Wirnet iBTS. Durante as últimas semanas, a Kerlink assinou acordos com a Boston Networks para criar uma rede IoT na Escócia, e com aMacnica Networks Corp. para levar soluções semelhantes em todo o Japão.

A Kerlink fornece seus gateways externos Wirnet para capturar e transmitir dados usando o protocolo LoRaWAN de área ampla e baixo consumo de energia. Ele emprega o que a Kerlink chama de plataforma de software iBTS para transportar transmissões para um servidor. A Boston Networks escolheu a solução global da Kerlink, incluindo servidor de rede, camada de software de gerenciamento de rede e aplicativo de localização geográfica, para o projeto IoT de £ 6 milhões (US$ 7,8 milhões) na Escócia, com o objetivo de fornecer aplicativos e serviços através de uma rede sem fio. A solução é inicialmente destinada a rastrear equipamentos municipais e infraestrutura, como lixeiras e luminárias inteligentes, com o objetivo de aumentar a eficiência energética e diminuir a pegada de carbono do país, explica Yannick Delibie, presidente e CEO da Kerlink.

Yannick Delibie, da Kerlink
Para o projeto, a Kerlink está fornecendo 500 gateways Wirnet iBTS. Também fornecerá gerenciamento remoto e em tempo real desses dispositivos a partir de seu Wanesy Management Center. Os gateways geralmente oferecem uma área de cobertura de 15 quilômetros ou mais em áreas semiurbanas, ou 2 quilômetros em áreas urbanas nas quais edifícios e outras estruturas podem criar blocos de transmissão. Vêm com recursos de firewall para fins de segurança, bem como a capacidade de realizar upgrades remotos de firmware seguro.

Os gateways recebem transmissões de dispositivos sensores baseados em LoRa anexados a lixeiras ou outros objetos, depois encaminham essas informações para o servidor back-end por meio de uma conexão 4G. O sistema também pode calcular informações de localização usando a tecnologia Wanesy Geolocation da Kerlink. Com a solução Wanesy, os gateways medem a força do sinal e o ângulo por meio da triangulação.

A implantação na Escócia consistirá em gateways instalados em dois tipos de sites. Alguns serão implementados em áreas urbanas, diz Delibie - mais comumente nos telhados. Os outros, instalados em postes de 20 metros (66 pés) de altura, serão implantados nas seções mais rurais do país. "Isso proporciona uma rede de conectividade completa", afirma, que pode ser usado para gerenciamento de energia, inicialmente em prédios públicos.