RFID Noticias

Nova etiqueta para metal mede 5 mm de comprimento

Fornecedores de soluções aeroespaciais e de saúde estão testando as etiquetas cerâmicas da Kyocera em instrumentos usados em atividades de fabricação ou cirúrgicas

Por Claire Swedberg

10 de setembro de 2018 - A empresa japonesa de eletrônicos Kyocera Corp. lançou uma minúscula etiqueta de cerâmica, projetada para rastrear as menores ferramentas - aquelas usadas durante cirurgias ou montagem de aeronaves, ou em usinas nucleares. A etiqueta mede apenas 5 milímetros por 2 milímetros por 1,5 milímetro. As amostras estão sendo fornecidas para potenciais clientes em vários setores em todo o Japão, América do Norte e Europa.

As novas tags foram desenvolvidas em cooperação com fabricantes de ferramentas no início deste ano, diz Alexa Pristl, especialista em desenvolvimento de negócios da Kyocera na Europa. No entanto, observa, a empresa manteve em mente outras indústrias como possíveis usuários. "Vemos muito potencial em aplicações de alta exigência em que o gerenciamento de ativos ou a identificação de amostras é fundamental", diz, como a indústria aeroespacial, automotiva ou o mercado de amostras biológicas criogênicas. "A peça de cerâmica é capaz de suportar extremos de temperatura e o pequeno tamanho dá aos usuários flexibilidade em locais de montagem".

Tag RFID UHF da Kyocera para metal
Quando se trata de ferramentas cirúrgicas, a etiqueta é projetada para ser anexada a itens como fórceps e tesouras, de tal forma que não afetem a ergonomia das ferramentas e sejam robustas o suficiente para sobreviver a numerosos processos de lavagem e sanitização. Atualmente, os prestadores de serviços de saúde devem levar em conta o uso de ferramentas durante e após procedimentos cirúrgicos, para garantir que nenhum corpo estranho seja deixado dentro de um paciente.

Alexa Pristl
Esse é um processo que geralmente exige ferramentas de contagem visual no início e no final de um procedimento - o que tira tempo de funcionários que poderiam estar prestando assistência médica. As empresas têm desenvolvido soluções baseadas em identificação por radiofrequência, que consistem em leitores RFID em salas cirúrgicas ou em estações de lavagem, para capturar as etiquetas de todos os instrumentos em uma bandeja à medida que são limpas, preparadas para um paciente e usadas para cirurgia. Um desafio para fornecedores de tecnologia RFID e fabricantes de ferramentas foi encontrar uma etiqueta que não impactasse a sensação ou o uso da ferramenta e que pudesse sobreviver ao processo de esterilização.

O setor aeroespacial também usa ferramentas de todos os tamanhos, incluindo as muito pequenas. No caso de pequenos instrumentos, o rastreamento é especialmente desafiador, pois as peças podem ser perdidas em grandes áreas de montagem. No entanto, é fundamental que sejam contabilizadas. Na verdade, se uma ferramenta não puder ser localizada após a saída de um trabalhador, toda a montagem pode ter que parar até que essa ferramenta seja encontrada, mesmo que isso signifique contatar o funcionário em casa para verificar seus bolsos. Além disso, diz Pristl, mesmo as grandes ferramentas aeroespaciais podem se beneficiar de pequenas etiquetas RFID para garantir um posicionamento ideal na ferramenta. Para serviços de manutenção, reparo e revisão (MRO) de aeronaves e naves espaciais, afirma, "qualquer objeto que não esteja onde deveria estar representa um alto risco para a segurança".

Esses objetos estranhos incluem ferramentas de metal usadas para serviços de manutenção por prestadores de serviços de MRO, que podem ser esquecidos depois que atendem a aeronave. Ferramentas de metal deixadas em uma aeronave podem causar danos potenciais a objetos estranhos (FOD) a um avião. A empresa vende seu pacote ultra-pequeno de cerâmica com um chip RFID UHF integrado e uma antena que, segundo ela, oferece um alcance de leitura mais longo do que outras etiquetas do mesmo tamanho.