RFID Noticias

Solução brasileira rastreia bagagens aéreas

A KeD, que desenvolve sistemas RFID, nasceu depois que um de seus fundadores teve sua bagagem extraviada durante um voo

Por Edson Perin

5 de setembro de 2018 - A empresa brasileira de soluções de identificação por radiofrequência (RFID) KeD tem um sistema completo para rastreamento de bagagens por meio de etiquetas inteligentes, o que vem bem a calhar devido à determinação da International Air Transport Association (IATA, ou Associação Internacional de Transporte Aéreo), para que toda bagagem aérea esteja com uma etiqueta equipada com RFID até 2020 (leia mais em Bagagem aérea com RFID movimenta empresas).

Com a solução da KeD para rastreamento de bagagens, cada mala recebe uma tag RFID que realiza a sua identificação em todo o seu percurso até a entrada no avião. Com isso, é possível estimar o tempo aproximado que a bagagem deve ter até entrar no compartimento de bagagem, dando mais segurança e evitando desvios durante o processo.

Afrânio Kieling, um dos fundadores da KeD
Assim, uma mala pode ser encontrada dentro do avião de forma muito rápida, em caso de desistência de algum passageiro, que também recebe uma tag junto com o seu cartão de embarque. Dessa forma, é feita a associação entre passageiro e mala, e o passageiro passa a ser informado no momento em que sua bagagem entra no avião, reduzindo muito a possibilidade de perda de volumes.

O sistema foi testado e aprovado pela Gol Linhas Aéreas, em 2008. "Nosso projeto foi testado - e aprovado todo seu conceito e viabilidade pratica - durante 30 dias de execução em um check in da Gol no aeroporto de Congonhas, com tags passivas e não reutilizáveis", explica Felipe Stürmer, da KeD.

O trabalho foi realizado com diversos fornecedores de equipamentos. "A tecnologia RFID para atingir os resultados pretendidos depende de local estratégico e um detalhado estudo das interferências possíveis", diz o executivo. "O maior desafio encontrado foi identificar a integração com a infraestrutura existente de controle de bagagens, sem tecnologia RFID".