RFID Noticias

Novo chip RFID NFC pode ser lido à distância

Fabricado pela STMicroelectronics, o dispositivo pode ser usado desde as áreas de fabricação até chegar ao consumidor final

Por Claire Swedberg

10 de julho de 2018 - A empresa global de semicondutores STMicroeletronics lançou um chip Near Field Communication (NFC) que, de acordo com o empresa, fornece um intervalo de leitura mais longo do que outras tags do mesmo tipo, bem como a baixa potência, e com proteção contra violação. A combinação de qualidades de longo alcance e detecção de adulterações, relata a empresa, torna o chip um bom produto para o uso de RFID NFC para rastrear um produto desde o ponto de fabricação até o consumidor.

O ST25TV fornece leitura de etiquetas compatíveis com o protocolo RFID ISO 15693 a 13,56 MHz HF, bem como leitura de etiquetas NFC com telefones celulares por consumidores ou revendedores. Como a transmissão ISO 15693 oferece uma distância de leitura mais longa, o dispositivo pode ser usado para rastreamento da cadeia de suprimentos e acomodar uma antena menor para leituras NFC, a fim de fornecer uma distância de transmissão similar de outros NFC com antenas maiores.

A especificação tipo 5 para tags NFC foi publicada pelo Fórum NFC em 2015, e permite que as tags operem com os padrões ISO 15693 e NFC Tipo 5, tornando-as mais flexíveis para uso - podem ser lidas por leitores RFID HF a distâncias relativamente longas ou por smartphones a poucos centímetros de distância.

Embora existam outros chips NFC baseados no tipo 5, diz Christophe Cataldo, gerente de marketing e desenvolvimento de negócios da STMicroelectronics, sua empresa é uma das poucas que oferece resistência à adulteração em conjunto. O chip vem com um loop que detecta quando uma tag foi adulterada (o loop de violação é aberto se alguém rasgar uma etiqueta na tentativa de removê-la ou abrir um pacote) e transmite uma resposta a qualquer interrogação, indicando que a tag foi danificada.

A maior faixa de leitura da ST25TV é fundamental para muitos casos de uso de leitura NFC, diz Cataldo, "porque melhora a experiência do usuário. Os consumidores querem uma maneira fácil de tocar e conectar", em primeiro lugar. Embora a maioria dos novos aparelhos iOS e Android tenham leitores NFC embutidos, ele observa, a localização da antena do leitor varia. Isso significa que quando os consumidores desejam ler uma etiqueta NFC não-tipo 5, devem posicionar o telefone adequadamente para garantir que a antena do leitor fique a poucos centímetros da tag.

Nesses casos, diz Cataldo, apenas alguns milímetros ou mais podem fazer a diferença entre um toque rápido e fácil para ler uma etiqueta e um processo incômodo de ajustar e reajustar o telefone para capturar uma transmissão. Além disso, como o alcance é maior, os fabricantes de rótulos podem criar proteção de marca baseada em nuvem ou outros rótulos NFC em embalagens que tenham antenas menores e, portanto, exijam menos espaço na embalagem. Cataldo estima que uma tag NFC, dependendo do design da antena, pode ser tão pequena quanto um centímetro quadrado.

O chip também vem com um recurso de prevenção de clonagem na forma de uma assinatura digital, que é capturada ao mesmo tempo que o ID de 64 bits, toda vez que a tag é lida. "Ao colocar a assinatura no chip, estamos provando que é um chip original", afirma Cataldo. Uma tag clonada teria o identificador sem a assinatura e, portanto, poderia ser detectada como uma falsificação.