RFID Noticias

IoT diminui tempo de inatividade dos clientes da Otis

Antes de desenvolver a solução, diz Black, a empresa pediu a seus clientes, bem como a seus funcionários de serviço, que identificassem pontos problemáticos. "Com essa informação", afirma, "criamos uma transformação para eliminar esses pontos críticos". O que a empresa estabeleceu, diz Black, é um ecossistema digital global e uma plataforma que usa uma variedade de métodos baseados em tecnologia para capturar dados gerenciados nessa plataforma, para garantir que os elevadores estejam operando e que o tempo de inatividade seja limitado.

A solução Signature Service inclui o uso de dados de elevadores conectados para melhor entender a saúde das unidades. Cada elevador conectado vem com uma rede de sensores que detectam o movimento e a localização de um elevador, bem como o seu funcionamento e quando pode haver um problema. Os elevadores podem ser equipados com detectores de movimento, sensores de temperatura e ruído, chaves magnéticas, sensores de tensão e câmeras como sensores.

Tony Black
A empresa já coletou alguns desses dados no final do dia ou em outros horários específicos, via modems ou outros serviços com fio. No entanto, com a solução Otis ONE IoT, os dados podem ser capturados, gerenciados e compartilhados em tempo real.

Funciona assim: os sensores medem a qualidade de desempenho do elevador e seus dados são gerenciados em um dispositivo de computação de borda instalado na máquina. Essas informações não são apenas filtradas para o conteúdo mais relevante para a administração da Otis, mas também criptografadas para impedir o acesso das informações por partes não autorizadas. Os dados são então transmitidos através de uma conexão celular - 4G ou LTE - ou, em alguns casos, na rede Wi-Fi existente de uma instalação.

O Otis ONE oferece três recursos-chave, diz Christopher Smith, vice-presidente de inovação de serviços da empresa: funcionalidade preditiva para identificar quando uma falha potencial pode ocorrer, uma capacidade proativa de identificar quando um elevador parou de funcionar e informações compartilhadas com manutenção funcionários e clientes, dependendo desses elevadores.

O recurso preditivo inclui sensores que monitoram o funcionamento das portas. O mau funcionamento da porta, diz Smith, é responsável por 50% a 70% das chamadas de manutenção. Se as portas de um elevador exigem manutenção, essas informações podem ser detectadas usando os dados do sensor e os algoritmos de software. O sistema pode determinar o nível de deterioração das portas com base na vibração e em outras medições do sensor, bem como identificar quando a funcionalidade da porta ultrapassou um limite aceitável. A central de atendimento da Otis, OTISLINE, recebe um alerta e pode agendar proativamente uma visita ao local do problema antes que as portas do elevador falhem.