RFID Noticias

Empresas prometem rastreamento de baixo custo

A startup SensThys e a Alien criaram uma rede de leitores para localizar grandes volumes de tags e com uma resposta de alta precisão na coleta de dados

Por Claire Swedberg

17 de novembro de 2017 - O startup de tecnologia da Califórnia SensThys e a empresa de identificação por radiofrequência (RFID) Alien Technology desenvolveram um novo leitor de RFID UHF com o objetivo de tornar as implantações mais baratas e permitir que os usuários possam se dar ao luxo de instalar um número maior de leitores e, portanto, impulsionar a precisão de leitura.

O novo produto está disponível sob dois nomes - Hydra (vendido pela Alien) e SensArray (vendido pela SensThys) - e foi projetado para usar Power-over-Ethernet Plus (PoE +) para ligar em rede tanto a energia como a dados de um dispositivo em rede. De acordo com as empresas, a rede pode ser instalada em questão de horas.

A SensThys é um spin-off de tecnologia da empresa de investimento InSite Partners. A InSite havia investido em vários provedores de tecnologia RFID, diz Jo Major, CEO da SensThys, e passou o ano passado falando com a Alien Technology no que se refere às oportunidades futuras da tecnologia RFID. Os leitores SensArray e Hydra são os primeiros resultados.

As empresas descobriram que muitas implantações RFID ainda eram muito caras para alguns usuários de varejo, logística, saúde e manufatura, e que, porque precisavam controlar os custos de instalação, as empresas geralmente instalavam um sistema que não tinha a densidade necessária para as taxas de leitura perto de 100%. "Algumas empresas têm leitores muito caros e complexos" que capturam RFID UHF, explica Major, às vezes com uma variedade de outros sensores incorporados.

O problema, acrescenta, é que os clientes têm recursos limitados para essas implantações. "As despesas de capital são examinadas muito de perto", afirma, "então o número de pontos de leitura é minimizado o máximo possível. Mas isso sacrifica a capacidade de detectar tags".

A SensThys e a Alien desenvolveram assim os novos leitores que servirão como parte de uma rede ou malha que simplesmente captura dados e os encaminha via PoE +, e isso não exigiria condução para energia ou o aumento da despesa de inteligência incorporada no dispositivo. Os leitores também poderiam incorporar sensores.