RFID Noticias

Pecuária ganha com inteligência baseada em IoT

Sistema de Internet das Coisas (IoT) localiza gado em grandes fazendas e acompanha seu comportamento na Europa, América do Sul e Austrália

Por Claire Swedberg

28 de setembro de 2017 - A uruguaia Chipsafer completou dois pilotos de uma solução baseada na Internet de Coisas (IoT) para acompanhar as atividades de gado bovino e evitar perdas. O sistema emprega tecnologia de rede ampla (LoRa) e LoRa de área ampla (LoRaWAN) da Semtech, bem como sensores sem fio da Chipsafer usados no gado. A solução ajuda os fazendeiros a entender o comportamento do gado e detectar algum problema, como um boi sendo removido de uma fazenda ou doente. Por enquanto, dois pilotos - um realizado na Namíbia e outro no Quênia - estão completos, mas há outros em curso no Brasil, Uruguai, Luxemburgo, Holanda e Austrália.

De acordo com a empresa, o sistema foi projetado para fornecer uma solução de baixo custo para o rastreamento de animais em pastagens em que a RFID ou outros dispositivos sensores sem fio não poderiam interrogar as tags. Victoria Alonsoperez, engenheira e empresária uruguaia de eletrônicos e telecomunicações que co-inventou a Chipsafer e fundou a empresa, refere-se à tecnologia como "Internet das Vacas".

Alonsoperez teve início precoce no desenvolvimento da tecnologia. Em 2001, aos 12 anos de idade, ela se inspirou no surgimento da febre aftosa no Uruguai para buscar uma tecnologia sem fio para rastrear os movimentos das vacas, permitindo aos agricultores saber onde o seu gado estava e quando uma vaca infectada poderia entrar em contato com outros animais. Em 2012, desenvolveu o produto chamado Chipsafer enquanto trabalhava como associada docente na International Space University.

Vivek Mohan
Em 2015, quando a LoRa foi lançada, Alonsoperez redesenhou o sistema para transmitir via redes LoRa. A LoRa é uma alternativa ao Wi-Fi ou transmissões celulares e tem um alcance mais longo do que a RFID ativa, por isso, não exige tantos leitores em uma área como uma fazenda de gado. Na verdade, os transmissores LoRa podem se comunicar com um gateway LoRaWAN a uma distância de até 13 quilômetros.

A Semtech, fornecedora de semicondutores de sinal misto, desenvolveu a LoRa para leituras de longo alcance em ambientes em que transmissões de dados infrequentes são mais comuns. A empresa alcançou o sucesso inicial com a tecnologia LoRa para gerenciamento de medidores de água e gás na Ásia, diz Vivek Mohan, diretor do Wireless and Sensing Products Group, da Semtech, e expandiu-se para outras aplicações, incluindo a solução de gerenciamento de gado Chipsafer e a cidade inteligente.

A pecuária de bovino representa desafios tecnológicos únicos, diz Alonsoperez. Enquanto o gado leiteiro geralmente passa por uma área confinada duas vezes ao dia para a ordenha, o gado bovino pode percorrer uma ampla gama com movimentos menos regimentados. Portanto, a tecnologia RFID é menos provável que capture a identificação da etiqueta de cada animal regularmente em tais circunstâncias. Wi-Fi, RFID ativa e sistemas celulares podem ser caros, observa, e as redes nem sempre estão disponíveis em áreas remotas. Por essa razão, acrescenta: a LoRa foi a melhor solução.