RFID Noticias

Boeing realiza gerenciamento de montagem

A empresa está usando o novo RFID Integrated Label da Fujitsu para rastrear até 7.000 componentes diferentes de aeronaves, em quatro sites de manufatura

Por Claire Swedberg

20 de julho de 2017 - A empresa global aeroespacial Boeing implantou um sistema de identificação por radiofrequência (RFID) para uso em instalações de manufatura desde 2016, usando rótulos RFID recentemente lançados pela Fujitsu. A implantação da Boeing com a RFID Integrated Label da Fujitsu é consistente com os propósitos de uso da tecnologia pela própria Boeing e também pelas companhias aéreas.

Em 2012, a Boeing começou a trabalhar com a Fujitsu para lançar um sistema para etiquetar componentes com tags RFID para que as companhias aéreas, os trabalhadores de manutenção e os inspetores pudessem ler e escrever dados sobre o histórico de cada parte, pois são usados, inspecionados ou reparados. Entretanto, a Boeing vem usando a mesma tecnologia neste ano para melhorar a produtividade da sua fabricação de aeronaves por meio do rastreamento de peças volantes durante as etapas finais, como a montagem e inspeção de aeronaves, além do envio para clientes.

A solução interna fornece gerenciamento de ciclo de vida de componentes durante a montagem, ajudando a empresa a reduzir os custos de monitoramento de peças. A Boeing também está considerando uma expansão da tecnologia para incluir o rastreamento de peças quando são recebidas ou se deslocam pela instalação antes da montagem.

Ao mesmo tempo, a Fujitsu está enviando kits para fornecedores de componentes para que possa codificar tags e aplicá-las aos componentes antes de serem enviados para a Boeing ou para a fabricante de aeronaves baseado na Frnaça, a Airbus.

Nos quatro sites de montagem da Boeing em que a tecnologia foi implantada, a empresa está etiquetado algumas partes para gerenciar o movimento das peças internamente, explica John Yu, gerente sênior da Boeing para identificação automatizada. A empresa adquiriu a solução da Fujitsu para etiquetagem, codificação e leitura de tags RFID em peças. Com o tempo, espera-se que componentes adicionais cheguem aos sites de montagem da Boeing com tags RFID já aplicadas.

Antes da implantação do sistema RFID, segundo a Boeing, o gerenciamento de peças durante a montagem era uma questão de verificação visual e entrada manual de dados para confirmar onde as partes específicas estavam localizadas. Com a RFID, os trabalhadores do site de montagem podem capturar os números de identificação da etiqueta usando leitores de mão. As tags são aplicadas e codificadas usando as impressoras e as tags da Fujitsu, com um número de identificação exclusivo, juntamente com informações relacionadas tiradas do software da Boeing, está escrito em cada tag. As tags podem então ser lidas em vários pontos durante o processo de montagem.

Os membros da equipe da Boeing usam leitores portáteis Zebra Technologies MC9190 para capturar dados de componentes. Embora a Fujitsu forneça leitores de mão para seus clientes como parte de sua solução, a Boeing já tinha os leitores RFID UHF.

A Boeing ou seus fornecedores anexam os rótulos RFID a aproximadamente 7.000 componentes das aeronaves. A empresa utiliza o software do Registro de Preparação de Aeronaves (ARL) que rastreia o status dos componentes e sua montagem em cada aeronave. Ao incorporar dados RFID do software Fujitsu, a Boeing pode usar o sistema para garantir a rastreabilidade dos componentes.

Com a tecnologia instalada, depois de uma aeronave estar completamente montada, a Boeing envia automaticamente seu relatório ARL para o cliente correspondente, com base nas leituras de etiquetas RFID, indicando que o processo de montagem de uma aeronave específica está completo. Assim, ajuda a economizar tempo de trabalho e evitar a incidência de erros.

Para as companhias aéreas, diz Yu, as tags podem ser usadas como fonte de informação para fins como melhorar as operações de inspeção de aeronaves. Cada etiqueta armazena dados relativos à data e localização de fabricação de um componente, bem como a qualquer manutenção ou inspeção subsequente. As partes autorizadas que realizam seu próprio trabalho podem escrever mais dados na etiqueta com base nas ações que estão sendo tomadas.

A Fujitsu está enviando seus kits de inicialização para os fornecedores da Boeing e da Airbus para que possam começar a etiquetar componentes com RFID antes que essas peças sejam enviadas para os fabricantes de aeronaves. De acordo com Takehisa Matsuda, gerente da Fujitsu Américas e diretor de desenvolvimento de soluções da AIT, a empresa enviou kits de inicialização para 46 fornecedores desde janeiro de 2016.

O rótulo integrado RFID é o rótulo flexível lançado recentemente pela Fujitsu, que vem com até 8 kilobytes de memória e foi projetado para gerenciar dados relacionados a peças de aeronave e equipamentos de emergência armazenados em aeronaves, diz Kevin Wrenn, vice-presidente sênior da Fujitsu Americas Platform Products Group.

O rótulo da Fujitsu cumpre os requisitos para o uso aeroespacial, incluindo o Society of Automotive Engineers (SAE) AS5678 padrão ambiental e os requisitos Air Transport Association of American (ATA) Spec 2000 para troca de informações e sequenciamento. A memória da tag é dividida em uma seção para informações do ciclo de vida e outra para dados permanentes.

A Fujitsu também está desenvolvendo um rótulo RFID flexível e de longo alcance a um custo menor para monitorar peças adicionais de aeronaves, como equipamentos de emergência que devem ser monitorados e mantidos pelas companhias aéreas para garantir que estejam presentes em cada voo e em bom estado de funcionamento, com base em registros de inspeção.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »