RFID Noticias

Empresa garante cumprir segurança alimentar

O sistema RFID permite rastrear produtos e controlar automaticamente as suas temperaturas dentro dos refrigeradores

Por Claire Swedberg e Edson Perin

22 de junho de 2017 - A empresa familiar norte-americana Lunds & Byerlys lançou uma solução RFID passiva UHF para garantir a temperatura adequada para armazenamento de seus produtos e ajudar a cumprir a legislação de segurança alimentar. A mercearia instalou a solução SureCheck Food Safety, da ParTech, em todas as 26 lojas em janeiro de 2016, e diz que o sistema ajudou a confirmar que cada loja e refrigerador atende aos requisitos federais para temperatura. A empresa usa a tecnologia para controlar o frescor, bem como para automatizar a gravação de dados durante as verificações de segurança.

No Brasil, distribuidoras de alimentos estão planejando usar a tecnologia RFID para controlar as temperaturas e validades dos produtos que entregam para as redes de restaurantes franqueados, por exemplo. Já foram iniciadas conversações com fornecedores locais de identificação por radiofrequência com o intuito de estudar a implantação da tecnologia. Nesta semana, o RFID Journal Brasil acompanhou com exclusividade uma reunião de negócios entre um importante fornecedor local de RFID com um conhecido executivo de restaurantes fast food.

Em 2011, a Lei de Modernização da Segurança Alimentar da FDA (FSMA) tornou os requisitos para a segurança alimentar mais rigorosos do que anteriormente. A FSMA visa a assegurar que o abastecimento de alimentos dos EUA seja seguro em relação à contaminação, deslocando o foco da resposta para a prevenção. A Lunds & Byerlys e a maioria dos clientes da Par implantaram programas de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (HACCP) para acomodar o padrão.

Normalmente, os varejistas de alimentos devem rastrear as temperaturas várias vezes, ou pelo menos uma vez por dia, para atender aos padrões de segurança alimentar. As empresas documentam as temperaturas nas quais os alimentos são armazenados para seus próprios fins de gerenciamento de temperatura, bem como para fornecer essas informações às autoridades governamentais quando necessário. Se as temperaturas caírem de limiares aceitáveis, os alimentos podem ser descartados.

"Com o lançamento e a implantação da FSMA, muitos recursos na indústria de supermercados foram esticados para cumprir os prazos de conformidade", diz Chris Gindorff, gerente sênior de garantia de qualidade e gerente de segurança alimentar da Lund Food Holdings.

A Lunds & Byerlys possui 26 supermercados de luxo na área de Minneapolis-St Paul, cada um contendo uma padaria e uma delicatessen. Seu foco principal é a qualidade de seus produtos, incluindo o frescor do alimento armazenado, para atender às necessidades de seus clientes.

A frequência das medições de temperatura depende dos pontos de verificação que a empresa determina. "Normalmente, as medidas são realizadas a cada duas horas", diz John Sammon III, vice-presidente sênior da ParTech e gerente geral da SureCheck. Sem um sistema automatizado, Sammon explica que o processo normalmente requer caneta e papel. Muitos varejistas de alimentos simplesmente mantêm registros de verificações de temperatura em pastas físicas.