RFID Noticias

Nova geração de IoT móvel muda experiências do consumidor

Startups com soluções que utilizam Bluetooth Low Energy, Eddystone e Bluetooth tradicional ajudarão ainda mais os consumidores

Por Claire Swedberg

17 de abril de 2017 - Startups de soluções móveis estão desenvolvendo uma variedade de tecnologias que visam a mudar a maneira como os consumidores experimentam muitas facetas de suas vidas. Durante os últimos anos, inúmeras empresas desenvolveram sistemas Bluetooth Low Energy (BLE) ou relacionados que permitirão às pessoas gerenciar melhor sua propriedade, comprar produtos em uma loja com a ajuda de seus smartphones e compartilhar suas músicas.

Três empresas que foram listadas como finalistas Bluetooth Special Interest Group (SIG) para o 2017 Imagine Blue Awards representam a última geração de inovações de Internet de Coisas (IoT) e BLE que, de acordo com a SIG, poderia impactar os consumidores, bem como as empresas que servem esses consumidores. Essas três empresas são TrackR, que oferece um sistema BLE, Beeem Technologies, que vende uma alternativa Eddystone para aplicações tradicionais de varejo BLE, e a Tempow, que fornece um sistema Bluetooth direto para emparelhamento de vários dispositivos para um dispositivo inteligente executando o software Tempow.

Christian Johan Smith, da TrackR
TrackR
Baseada na Califórnia, a TrackR oferece uma solução BLE que, simplesmente, ajuda os usuários a encontrar as suas coisas. O aplicativo cria uma planta virtual da casa de um indivíduo ou outro espaço com dispositivos Bluetooth plug-in em cada sala, então, permite ao usuário localizar na sala qualquer coisa com tag dentro desse espaço.

O TrackR foi desenvolvido por estudantes de engenharia na Universidade da Califórnia Santa Barbara, com base em uma má experiência que tiveram na praia quando não conseguiam encontrar as chaves do carro. Os alunos haviam desfrutado de uma manhã de surf enquanto seu carro estava estacionado na praia, mas, quando voltaram, encontraram a maré se aproximando e perceberam que suas chaves estavam faltando.

As chaves foram, de fato, enterradas na areia, diz Christian Johan Smith, presidente e co-fundador do TrackR, e só conseguiram encontrá-las - e salvar seu veículo da maré de chegada - com a ajuda de um transeunte com um detector de metais. Esse evento os levou a criar sua própria solução em 2010, que agora serve os consumidores; a última versão, lançada este ano, é conhecida como TrackR atlas.

A equipe começou com um dispositivo beacon do tamanho de uma moeda, conhecido como Bravo, que poderia ser anexado a itens como chaves, bolsas ou mochilas de ginástica, e um smartphone habilitado para Bluetooth executando o aplicativo TrackR. O telefone detectaria quando um objeto estava dentro do alcance e o aplicativo usaria essas informações para encontrar artigos ausentes.

Não só o aplicativo pode ajudar um usuário a encontrar um item perdido ou próximo, mas os dados estão ligados ao sinal de GPS do telefone. Deste modo, pode armazenar a última localização conhecida de um objeto, tal como um conjunto de chaves, com base na última vez que o telefone detectou um sinal (de acordo com a sua longitude e latitude). O aplicativo vem com uma função baseada em multidão que permite que outros na área do usuário ajudem anonimamente a encontrar itens ausentes, desde que também estejam executando o aplicativo TrackR Bravo e estejam dentro do alcance de um objeto que alguém tenha relatado em falta.