RFID Noticias

Instituição rastreia sangue para uso em crianças

Hospital Infantil de Wisconsin (EUA) testa RFID para garantir que derivados de sangue sejam transportados com os devidos cuidados e sem desperdícios

Por Claire Swedberg

13 de março de 2017 - O Children's Hospital of Wisconsin (Hospital Infantil de Wisconsin) e o BloodCenter of Wisconsin, nos Estados Unidos (EUA), estão testando o uso de um sistema RFID de alta frequência (HF) no monitoramento de um produto desafiador: sangue armazenado e fornecido para pacientes pediátricos. Como as crianças exigem menos sangue do que os adultos, os produtos são frequentemente divididos em pequenos pacotes para receptores de transfusão tão jovens quanto um recém-nascido. O piloto, que começou em 31 de outubro de 2016, terminou em 15 de fevereiro. A solução RFID é conhecida como CompoTrace e é fornecida pela empresa de tecnologias de saúde Fresenius Kabi.

O BloodCenter de Wisconsin - uma organização sem fins lucrativos especializada em serviços de sangue, doação de órgãos, tecidos e medula, testes de diagnóstico e serviços médicos e pesquisa - faz parte da organização de saúde Versiti. O centro de sangue uniu-se ao Fresenius Kabi para começar a testar a solução RFID HF passiva. A instalação vem pesquisando e testando a tecnologia RFID há mais de uma década, para melhor gerenciar seu suprimento de sangue à medida que o produto passa do centro para hospitais para uso dos pacientes.

Funcionário faz varredura de componentes de sangue para o sistema de visibilidade de estoque
O projeto mais recente foi projetado para determinar como a tecnologia poderia beneficiar a visibilidade e gerenciamento de suprimentos de sangue para os pacientes de menor tamanho. "As transfusões infantis diferem dos adultos porque as doses são muito menores", diz Lynne Briggs, vice-presidente e CIO da BloodCenter de Wisconsin. Um saco de sangue armazena uma dosagem específica para adultos, explica, mas um bebê ou criança pequena usaria apenas uma pequena porcentagem dessa dose. Em vez de desperdiçar sangue que não é necessário para um paciente jovem, o produto é dividido em múltiplas doses pediátricas.

Os produtos são divididos e armazenados em sacos múltiplos que podem ser mais complicados do que rastrear uma dose única que é administrada a um paciente na mesma bolsa na qual foi inicialmente recolhida e armazenada. Como resultado, Briggs diz que o centro de sangue e a Fresenius-Kabi queriam determinar o quão bem a tecnologia poderia ajudar a rastrear a dose original de tamanho adulto, bem como subsequentes doses menores pediátricas. "Isso nos permite ser melhores administradores do suprimento de sangue", explica.

O piloto consiste no rastreamento de produtos sanguíneos em dois locais: BloodCenter de Wisconsin, onde o sangue é enviado pela equipe dos Serviços Hospitalares da BloodCenter, e o Hospital Infantil de Wisconsin, onde é tratado pela equipe de Serviços de Transfusão Hospitalar, usando o sistema CompoTrace.

O piloto do BloodCenter e do Hospital Infantil é a primeira implantação pediátrica da solução CompoTrace, diz Dale H. Meixelsperger, gerente sênior de marketing da Fresenius Kabi.