RFID Noticias

Projeto usa dados reais de florestas

Informações coletadas por meio de RFID ajudam a gerenciar o reflorestamento de árvores de koa e sândalo no Havaí

Por Claire Swedberg

20 de fevereiro de 2017 - Desde o lançamento de sua operação de reflorestamento com árvores de koa há sete anos, a Hawaiian Legacy Hardwoods (HLH) vem usando identificação por radiofrequência (RFID) para identificar koa e sândalo à medida que são plantadas. E também para relacionar essas árvores àqueles que as compram. Usando etiquetas RFID UHF em cada árvore plantada e crescida, bem como a localização GPS de cada uma à medida que é plantada, a organização sem fins lucrativos acompanha o crescimento das árvores e fornecer informação aos clientes que as adotam. Ao mesmo tempo, a HLH usa a tecnologia para confirmar a identidade de cada árvore plantada e, em seguida, colhida no lado comercial do negócio.

Durante os últimos anos, diz Jeffrey Dunster, CEO da HLH, a empresa expandiu seu uso do sistema RFID para capturar cada passo do cuidado das árvores e, em seguida, alavancar os dados coletados para análise das taxas de saúde e crescimento das árvores, além de identificar formas de gerir a floresta para o melhor desempenho do cultivo. A empresa também está desenvolvendo dois tipos de leitores portáteis RFID para uso em campo, para ler tags em um curto espaço de tempo e evitar que os trabalhadores tenham que dobrar o trabalho. Uma versão irá capturar dados de localização GPS dentro 1 metro.

William Gilliam
Atualmente, a empresa tem 350.000 árvores etiquetadas, incluindo 16.000 árvores raras de sândalo havaiano. Sua divisão sem fins lucrativos, conhecida como Hawaiian Legacy Reforestation Initiative, opera uma propriedade de 12.000 acres em Mauna Kea, no Havaí. Cada árvore está sendo cultivada como parte de um esforço neutro em carbono (o que significa que a redução de carbono proporcionada pelo crescimento da árvore diminui parte do uso de carbono causado pela atividade humana), diz Dunster. As empresas parceiras, como a Paradise Helicopters, empresa de viagens aéreas e charters, estão usando o programa para permitir que os indivíduos comprem e plantem árvores ou comprem créditos de carbono para que seu voo seja neutro. A Paradise Helicopters patrocinou parte da propriedade dedicada de 1.200 acres da HLH.

A HLH agora inclui cinco outras empresas: Hawaiian Legacy Tours para ecoturismo, Ecotech Nurseries, Legacy Carbon, Hamakua Mill Company e a Hawaiian Legacy Reforestation Initiative. Além da iniciativa sem fins lucrativos Legacy Carbon e Hawaiian Legacy Reforestation Initiative, a HLH permite que os clientes invistam em árvores de koa sustentáveis, vendidas em lotes de 100 e que, em seguida, ganham fundos no momento da colheita.

A Iniciativa de HLH Legacy permite que um indivíduo patrocine o que chama de Legacy Tree, muitas vezes na memória de um ente querido, pelo preço de US$ 60. Desse montante, US$ 20 vão para uma instituição de caridade da escolha do cliente.