RFID Noticias

Operadora suíça alerta sobre movimentos de vagões

A SBB Cargo está implantando sistema RFID passivo UHF para rastrear milhares de carros com mercadorias nas ferrovias

Por Claire Swedberg

10 de janeiro de 2017 - A operadora de frete ferroviário suíça SBB Cargo está equipando toda a sua frota de vagões com tecnologia de identificação por radiofrequência para monitorar os movimentos de entrada e saída nas estações e estaleiros. A implantação, lançada em 2016, acompanha a instalação de tecnologia RFID em todos os carros de passageiros operados pela empresa-mãe da SBB Cargo, a Swiss Federal Railways (SBB).

A SBB Cargo espera que 1.000 dos seus 6.700 vagões estejam etiquetados até o final de dezembro [quando esta matéria foi produzida], e aproximadamente 5.000 até o final de 2017. A tecnologia, fornecida pela empresa finlandesa de RFID Vilant, usa leitores RFID UHF da própria Vilant, bem como etiquetas robustas Ironside da Confidex, permitindo que a SBB Cargo e seus clientes identifiquem exatamente quando cada carro chega em uma estação e quando sai, assim como em que ordem os carros estão acoplados. Isso torna o processo de carga e descarga mais fácil para os clientes da SBB Cargo, informa a empresa, ao mesmo tempo em que previne erros ou atrasos na entrega de frete.

As tags estão sendo aplicadas em ambos os lados de cada carro de frete
A SBB Cargo, com sede em Olten, na Suíça, opera uma rede de frete que está passando da estrada para a ferrovia. No total, a empresa transporta diariamente 175 mil toneladas de mercadorias em toda a Suíça. O frete move-se através do país em vagões da SBB de uma estação a outra, passando frequentemente por uma ou mais de três jardas de empacotamento (shunting) em que os carros podem ser transferidos de um trem ao seguinte. A empresa é responsável pelos carros, carregados ou vazios, e também é cobrada com a coleta de carros de frete de clientes e pelo envio de volta para jardas de triagem para uso por outros destinatários. Portanto, os movimentos de carros, e o monitoramento desses movimentos, pode ser um processo altamente complexo. Ao mesmo tempo, observa a SBB, os erros são custosos – se um carro carregado está atrasado, ou se não há carro vazio disponível quando um cliente precisa de um, o custo pode ser alto.

Tradicionalmente, a administração de vagões de carga tem sido um processo manual envolvendo pessoal de ferrovias caminhando ao longo dos trilhos com caneta e papel, anotando os números de série dos carros e trazendo a documentação para o escritório. Não só é lento este método manual, mas é propenso a erros, uma vez que os números são manuscritos e, em seguida, introduzidos no escritório, com base na caligrafia. Para os clientes cuja carga é carregada em carros nos trilhos, informações sobre o frete em cada estação podem ser adiadas por horas ou dias.

Portanto, a SBB Cargo tem procurado tecnologia para melhorar esse processo, de acordo com Christian Schmidt, diretor de inteligência de ativos da SBB Cargo. A implantação de RFID, explica Schmidt, faz parte da iniciativa de automação da SBB Cargo para criar o que chama de um "vagão de carga inteligente". Além de instalar a tecnologia RFID para identificar os movimentos de vagões carregados e vazios, a empresa também usa GPS e sensores para rastrear a localização e a temperatura dentro de alguns de seus carros refrigerados, bem como umidade e nível de vibração.

Com o sistema RFID instalado, os despachantes e clientes da SBB Cargo podem receber um alerta automático via e-mail ou mensagem de texto quando cada carro chega a uma estação ou quintal, exibindo não só quais carros chegaram e o frete com o qual eles estão associados, mas também a ordem em que chegaram, de modo que o carregamento ou descarregamento possa ser organizado em conformidade. O objetivo principal, explica Schmidt, é evitar erros. "Às vezes, temos diferenças entre a realidade e os dados em nossos sistemas", diz ele. "Em geral, com a automação, poderíamos aumentar nossa competitividade e melhorar a segurança", uma vez que menos funcionários teriam que percorrer os trilhos identificando carros.