RFID Noticias

RFID amplia diversão para wakeboarders

O parque de esportes aquáticos Wawawake, na Polônia, usa pulseiras e leitores NFC para acompanhar cada ciclista em seu interior

Por Claire Swedberg

16 de dezembro de 2016 - A empresa polonesa de tecnologia esportiva Trickbox implantou um sistema RFID NFC (Near Field Communication) fornecido pela HADATAP em um parque aquático polonês de wakeboard conhecido como Wawawake para monitorar o tempo que cada participante gasta andando no parque, bem como para relacionar o cliente aos vídeos em que aparece. A HADATAP está usando leitores NFC SkyeTek SkyeModule e seu próprio software em nuvem, que serve para validar bilhetes e relacionar vídeos.

O wakeboarding, uma combinação de esqui aquático, snowboard e surf, é um esporte de água considerado extremo em que os atletas usam um barco a motor para serem puxados para surfar. O Wawawake está situado em um lago perto de Varsóvia, na Polônia. Durante os meses mais quentes, o parque oferece um lugar para wakeboarders praticarem suas habilidades em rampas de salto e obstáculos. Porque envolve muitos saltos e truques, o esporte gera bons vídeos.

As câmeras IP da Samsung gravam automaticamente o desempenho de cada wakeboarder
Os pilotos de wakeboard gostam de ver seu próprio desempenho nesses saltos, não só por diversão, mas também para avaliar a técnica para fins de treinamento. Portanto, o parque queria oferecer uma maneira de ver essas imagens de vídeo ainda durante a visita dos esportistas. "Os atletas gostam de saltar obstáculos na água fazendo truques diferentes, às vezes muito extravagantes", diz o empresário Kamil Luberecki, fundador da Trickbox.

A Trickbox faz soluções de tecnologia integrada para parques desportivos como Wawawake. Começou a desenvolver o sistema do parque aquático neste ano e chamou a HADATAP para fornecer leitores RFID e pulseiras para identificar os visitantes. A HADATAP forneceu pulseiras com tags NFC RFID Smartrac e instalou leitores SkyeModule RFID na entrada para a ponte onde os participantes esperam a volta na água e em um quiosque. O software baseado em nuvem da HADATAP interpreta os dados de leitura coletados, vincula-os aos gastos e aos vídeos dos visitantes e encaminha essas informações para o servidor da Trickbox. O sistema entrou em operação em agosto deste ano.

"A RFID é usada para vincular o usuário ao vídeo arquivado", diz Daniel Kamiński, presidente da diretoria da HADATAP. Antes de visitar o Wawawake, os usuários fazem uma reserva online e pagam por um tempo específico pelo passeio em água (conhecido como loop). Podem, por exemplo, pagar 60 minutos, o que poderia equivaler a um número específico de loops. Ao chegar ao Wawawake, cada visitante recebe a identificação e uma pulseira RFID relacionada à reserva. Quando o cliente chega a uma ponte para o lago, basta encostar a pulseira contra o leitor NFC do portão de entrada, depois disso o software rastreia quanto tempo o indivíduo está na água, de modo a conferir o período restante.

Na ponte para usar o loop de wakeboard, os clientes aguardam o cabo que os puxa ao longo da superfície da água em alta velocidade. O número de identificação codificado na etiqueta da pulseira fica armazenado no software Trickbox, juntamente com as informações do participante. À medida que cada visitante se desloca através do loop, várias câmeras IP da Samsung gravam automaticamente o desempenho do atleta.