RFID Noticias

Sangue com sensores será rastreado no Paraná

Startup de Internet das Coisas realizará o registro e monitoramento contínuos das temperaturas do produto no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar)

Por Edson Perin

18 de outubro de 2016 - A Sensorweb, startup de Internet das Coisas para a área da saúde, acaba de vencer licitação para implantar e operar continuamente a rede de sangue do Estado do Paraná. A empresa vai operar os serviços de registro e monitoramento contínuos das temperaturas do produto na cadeia de frio das 21 unidades do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar).

Administrada pela Secretaria de Estado de Saúde, a Hemepar realiza a coleta, armazenamento, processamento, transfusão e distribuição de sangue para 384 hospitais públicos, privados e filantrópicos que atuam em todas as regiões do Paraná.

Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb
“Nossa solução é muito adequada para o controle e a preservação de insumos em redes e centros hematológicos, uma vez que entregamos um pacote completo de tecnologias e serviços de forma a garantir um monitoramento à distância preciso, seguro e contínuo”, afirma Douglas Pesavento, CEO da Sensorweb. O sistema busca reduzir os riscos de perdas materiais, com disparo de alertas no momento necessário, o que aciona equipes treinadas para tomar providências.

“Nosso intuito é o de ir muito além da tecnologia, porque esta necessita de engajamento dos usuários e suporte rápido e continuado para permitir o sucesso na sua aplicação”. O caso de uso no Paraná é o segundo em hemorrede do Brasil, 100% monitorada pela solução da Sersorweb. “Isto demonstra o sucesso e retorno sobre o investimento”, explica Pesavento, informando que o primeiro contrato foi firmado com o Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina (Hemosc).

O projeto será mencionado no processo de habilitação do Hemepar para a certificação internacional da Associação Americana de Bancos de Sangue (AABB) e garantirá a operação ininterrupta e contínua da rede de sangue da região, 24 horas por dia, todos os dias da semana.

A otimização do processo de registro e controle das temperaturas, possibilitará aferir e solucionar eventuais problemas com as câmaras de armazenamento no momento em que ocorrer o desvio, evitando assim perdas e assegurando a integridade, qualidade do sangue e seus componentes armazenados e do trabalho dos profissionais envolvidos.

Além da instalação de 600 pontos de monitoramento, a Sensorweb será responsável pelo treinamento de toda a equipe que garantirá a operação e manutenção da solução de modo contínuo, durante o período contratual.

Com esta implantação, a Sensorweb ultrapassa a marca dos 2.500 sensores em operação em várias regiões do país. “Este número demonstra o grau de confiabilidade e robustez da solução entregue aos clientes, como hospitais, clínicas oncológicas, bancos de sangue, institutos e laboratórios de pesquisa de todo do Brasil e recentemente da Argentina”, ressalta.