RFID Noticias

Como comprar sapatos em 20 segundos

Empresa brasileira desenvolve solução que simplifica o processo de check-out no varejo calçadista e testa a experiência dos clientes com a tecnologia RFID, em uma loja laboratório

Por Edson Perin

17 de outubro de 2016 - Quem conhece identificação por radiofrequência (RFID) sabe que a tecnologia controla estoques com eficiência e com custos muito inferiores aos dos códigos de barras, além de manter a precisão dos números do inventário. Agora, a novidade são as soluções de RFID que estão indo além de oferecer a necessária visibilidade sobre os produtos disponíveis para venda e evoluindo para garantir experiências positivas, agradáveis e até lúdicas aos compradores.

Um exemplo disso está na cidade de Cascavel (PR), onde uma loja laboratório de sapatos testa na prática tecnologias recém-projetadas e experiências inovadoras para os consumidores. A iniciativa está sob a liderança do paranaense Vanderlei Kichel, CEO da empresa de sistema de gestão empresarial (ERP) SetaDigital, cujo foco é o setor calçadista. “Estamos prontos para entregar um novo conceito de loja de sapatos, mais eficiente e divertida, para os nossos clientes e seus consumidores”.

Vanderlei Kichel, CEO da SetaDigital e idealizador da Sapati, a sapataria inteligente, ao lado do totem que identifica o calçado e grava suas informações no cartão RFID, serve como carrinho virtual de compras
A sapataria inteligente ou Sapati – nome da loja laboratório que opera em um espaço de 400 metros quadrados, no piso térreo do prédio de 1.600 metros quadrados da SetaDigital – tem um ambiente elegante que está dividido em dois: de um lado, as mercadorias são para o público feminino e, do outro, para o masculino. Além disso, cada prateleira apresenta calçados com uma mesma numeração, facilitando a vida dos clientes. Mas não é só isso que faz da Sapati uma loja agradável. O principal é que, depois de escolher o seu par de calçados, o cliente leva apenas 20 segundos para finalizar a compra.

O processo se inicia com um cartão contendo uma tag RFID passiva UHF, que desempenha a função de carrinho de compras, onde o cliente coloca todos os produtos que deseja levar. Sempre que o consumidor se interessar por uma mercadoria, basta encostá-la em um totem, onde um leitor de RFID identifica o produto e mostra sua imagem e preço na tela sensível ao toque. Se o consumidor estiver de acordo com as características do produto, basta encostar o cartão que, imediatamente, grava a informação e passa a conter o produto virtualmente, como um carrinho de compras.

Depois de experimentar diversos calçados e gravar em seu cartão os produtos que mais gostou, o cliente pode editar sua lista de mercadorias, mantendo apenas as que realmente irá adquirir. “Quando o consumidor tiver em seu cartão ou ‘carrinho virtual’ apenas os pares de sapatos que quer levar, basta ir ao caixa [que é um totem maior, com uma tela grande] para realizar o check-out, em cinco passos: encosta o seu cartão da loja no leitor, confere os produtos selecionados, escolhe entre débito ou crédito, passa o cartão de pagamento e apanha a sacola com os produtos”, explica Kichel.