RFID Noticias

GE e Bosch unem forças pela Internet das Coisas

Para ampliar suas capacidades em IoT, as duas gigantes industriais estão trabalhando para integrar elementos de suas respectivas plataformas de nuvem

Por Mary Catherine O'Connor

14 de outubro de 2016 - A Bosch, empresa alemã de US$ 55 bilhões que fabrica sensores usados em uma ampla gama de aplicações industriais e de consumo, deu um grande impulso para a Internet das Coisas (IoT) nos últimos anos. Em 2014, em parceria com a fabricante de roteadores Cisco Systems e a empresa de engenharia ABB lançaram a Mozaiq Operations, a fim de criar uma plataforma aberta de software para gerenciar dispositivos para smart-homes (casas ineligentes) e suas aplicações.

No ano passado, a Bosch reforçou seu portfólio de software pela aquisição da ProSyst, que faz middleware e software baseado em nuvem para gerenciar dispositivos conectados usado aplicações de Internet das Coisas. Também tem feito experimentos com o Industrial Internet Consortium (IIC), grupo formado em 2014 por AT&T, Cisco, General Electric (GE), IBM e Intel para acelerar a implantação das tecnologias baseada em sensores em rede.

Em outras palavras, a Bosch tem disputado uma posição de liderança na corrida para incorporar sensores em tudo, desde carros e máquinas de fábricas até lavadoras de louça, assim como a General Electric.

Bill Ruh (esq.), da GE, e Rainer Kallenbach, da Bosch
Bosch e General Electric acabam de anunciar que suas respectivas divisões de software, GE Digital e Bosch Software Innovations, assinaram um memorando de entendimento destinado a trabalhar em conjunto, com o objetivo comum de crescimento de seus respectivos negócios na Internet das Coisas industrial (IIoT ou Industrial IoT). Os projectos tendem a ser extremamente amplos e complexos, o que exige colaboração e cooperação de muitos, até mesmo, concorrentes.

Mesmo Matthew Jennings, presidente regional inovações da Bosch Software para as Américas, admitiu que a colaboração com a GE é única. "Isso é novo", diz Jennings. "É um anúncio não-tradicional". Mas, acrescentou, também que será mutuamente benéfico, pois permitirá que ambas as empresas usem suas forças, enquanto também são apoiadas em projetos para clientes em comum.