RFID Noticias

Notas do Editor: Internet das Coisas, RFID e negócios

Os sistemas de informação se baseiam em computadores ainda cegos, surdos e mudos, que trarão uma nova realidade de produção assim que passarem a usar sensores

Por Edson Perin

5 de outubro de 2016 - Desde que comecei a ir fundo na cobertura jornalística de Tecnologias da Informação para Negócios, nos primórdios dos anos 1990, uma das coisas que sempre me chamaram a atenção eram os nomes marqueteiros dados para tipos de aplicações e soluções de TI recém-lançadas. Não eram os nomes dos novos produtos em si – sempre criativos também –, mas de classificações ou conceitos, nos quais poderiam ser inseridos. Muitas vezes, os tais conceitos eram renomeados para incluir a ideia de uma nova onda, uma espécie de palavra da moda ou, em inglês, “buzzword”.

Um dos exemplos mais marcantes envolve as aplicações chamadas de “on demand” (ou “sob demanda”, em inglês), que depois evoluíram para “as a service” (como serviço), chegaram depois ao termo “SaaS”, acrônimo para “software as a service” (software como serviço, ou sob demanda), que hoje também se enquadra no conceito de “nuvem” (TI, em geral, sob demanda pela internet). Seria a Internet das Coisas uma buzzword?

Clique aqui e leia o artigo na íntegra.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »