RFID Noticias

Vale diz como planeja expandir uso da RFID

Companhia já utiliza a tecnologia RFID passiva UHF há mais de cinco anos, com resultados positivos no controle e rastreamento de ferramentas e insumos

Por Edson Perin

12 de setembro de 2016 - Em uma entrevista concedida com exclusividade ao RFID Journal Brasil neste mês de setembro de 2016, o executivo Leonardo Rodrigues Costa de Sá, gerente de Tecnologia da Informação (TI) Industrial – Regional Sul, da mineradora brasileira e global Vale, produtora de minério de ferro e níquel, revelou os planos futuros da companhia no que diz respeito aos projetos de identificação por radiofrequência (RFID) que têm sido implantados nos últimos anos.

O RFID Journal Brasil vem acompanhando os resultados da Vale com o uso da tecnologia em diversas áreas, em matérias como Vale rastreia 70 mil materiais de manutenção, Vale seleciona RFID entre seus melhores projetos e Vale apoia projeto do Memorial Drummond de Andrade.

Leonardo Rodrigues Costa de Sá
Sá explica que a expansão da RFID na Vale passa pelas empresas que englobam o ecossistema da corporação. Ou seja, quanto mais as empresas fornecedoras de ferramentas, bens e insumos anexarem tags aos seus produtos, mais a Vale poderá tirar proveito da tecnologia de identificação por radiofrequência em seus processos empresariais.

Segundo o executivo, a Vale não obriga que os fornecedores entreguem produtos com tags RFID, o que poderia implicar em um aumento de custos. Mas, em sua visão, isto deve ocorrer gradativamente, conforme a tecnologia passe a ser mais utilizada e os preços das tags sejam reduzidos. Leia abaixo a íntegra da entrevista:

RFID Journal Brasil - Quais são as atuais perspectivas das tecnologias de RFID na Vale, após as várias experiências e testes realizados?
Leonardo Rodrigues Costa de Sá - Após cinco anos realizando pilotos e implantações, vislumbramos a possibilidade de ampliar o uso da RFID para outros processos, além daqueles relacionados a logística.
A tags RFID têm avançado no que tange a fatores que dificultavam o seu uso, como em materiais ferrosos. Isto possibilita uma gama de novas aplicações onde antes a RFID não era considerada. Outros pontos que precisamos salientar são os ganhos quando combinada à Internet das Coisas, visto que a RFID poderá se tornar uma grande aliada na redução de custos e otimização de processos.