RFID Noticias

Museu Star Trek vai além da ciência

Instituições de Ottawa e Nova York são os primeiros a sediar The Starfleet Academy Experience, que usa RFID para uma série de funções

Por Claire Swedberg

23 de agosto de 2016 - Cinquenta anos após o lançamento do primeiro episódio de Star Trek, programa de televisão que estreou em 08 de setembro de 1966, dois museus norte-americanos abriram uma exposição que recria a experiência espacial, com a ajuda de tecnologia de identificação por frequência (RFID) passiva HF, de 13,56 MHz. No início de 2015, a Canada Science and Technology Museum, de Ottawa, e a produtora da Áustria EMS Entertainment desenvolveram a exposição, conhecida como Star Trek: The Starfleet Academy Experience.

A exposição está sendo executada no Canada Science and Technology Museum, até setembro, e pelo Intrepid Sea, Air & Space Museum, de Nova York, em outubro. A EMS, em seguida, planeja instalar versões semelhantes da exposição em uma série de outros locais da América do Norte, estendendo-se até 2017. A EMS fornece toda a experiência, incluindo itens de exibição e conteúdo para exposição, o que inclui leitores de RFID e pulseiras.

Os visitantes podem testar sua capacidade de disparar um phaser em alvos digitais, bem como usar sua pulseira RFID para registrar pontuações
Alex Benay, presidente e CEO do Canada Science and Technology Museums Corp., diz que começou a trabalhar com a EMS em uma exposição interativa para coincidir com o 50º aniversário do programa de TV Star Trek. A ficção científica e a ciência estão intimamente relacionadas, explica ele, e muitas tecnologias mostradas na série de TV há 50 anos tornaram-se uma realidade (por exemplo, os fones de ouvido com Bluetooth, agora disponíveis comercialmente são semelhantes ao fone sem fio que a tenente Uhura usava.

"Nós não queremos uma exposição baseada em artefato", explica Benay. "Queríamos algo que fosse cross-gerações e que pudesse trazer as pessoas para a experiência". Portanto, sua equipe desenvolveu o conceito Starfleet Academy para que as crianças e adultos possam testar suas habilidades em uma variedade de exposições e ganhar uma atribuição na Frota Estelar, com base em seus pontos fortes.

Alex Benay
A exposição foi concebida para replicar partes do programa de televisão, de acordo com Christoph Rahofer, CEO da EMS Entertainment e produtor executivo de Star Trek: Starfleet Academy Experience. Adereços e figurinos da série de TV estão em exibição, diz Mike Onysko, VP de marketing do museu Intrepid, e os visitantes podem usar pulseiras RFID em sete zonas interativas para colher imagens, vídeos e partituras, e para ganhar sua adesão Starfleet em leitores RFID instalados em cada zona, incluindo uma mesa de "tricorder médica", um mapa de projeção, hologramas e um jogo de tiro usando Star Trek phasers. Outra característica interativa da RFID é o Leap Motion, que usa reconhecimento de voz para permitir aos participantes falar com um Klingon (uma espécie fictícia de Star Trek).

Cada visitante recebe uma pulseira RFID que retorna no final da visita. Em um quiosque, o usuário insere informações pessoais, incluindo o seu nome e e-mail, para onde os resultados podem então ser enviados. Esses dados estão ligados ao número de identificação único da tag RFID desse indivíduo.