RFID Noticias

Empresa lança beacon de baixo custo

Empresas dos setores de saúde e aeroespacial já utilizam a solução da THINaër para rastrear itens e indivíduos e analisar os dados coletados

Por Claire Swedberg

25 de julho de 2016 - A THINaër, fornecedora de sistemas de localização em tempo real (RTLS) que empregam beacons Bluetooth com sensores embutidos, relata que diversos clientes estão testando suas soluções. As implantações envolvem beacons e receptores Bluetooth, juntamente com o software baseado em nuvem que fornece as análises necessárias para compreender o significado dos dados coletados.

A solução serve atualmente a empresas dos setores de saúde e aeroespacial, além de petróleo e gás. No entanto, a THINaër acredita que poderia utilizar a mesma solução em outros setores, como logística e varejo.

Nos hospitais, os beacons THINaër Bluetooth equipam cadeiras de rodas e outros ativos
A tecnologia da THINaër foi projetada para ser fácil de usar e de acessa, e com um custo inferior ao das soluções RTLS tradicionais que utilizam tecnologias RFID ativa ou Wi-Fi, ou que exigem software proprietário para gerenciar os dados coletados. Até agora, apenas um cliente do setor de saúde lançou uma implantação permanente da THINaër, para localizar ativos e, potencialmente, pessoal e pacientes, enquanto outras empresas ainda estão testando o sistema.

A THINaër faz etiquetas para beacons que vêm em uma variedade de formas e têm sensores de temperatura e umidade embutidos, de acordo com Bryan Merckling, CEO da empresa. Também faz o seu próprio aparelho de Wi-Fi para permitir a celulares receber dados transmitidos por beacons, sistema para o qual desenvolveu todo o hardware.

Os beacons, que têm uma vida útil de bateria de seis anos, fornecem atualizações de status em relação aos níveis de temperatura e humidade ou simplesmente transmitem um identificador único, se os sensores não estão sendo usados. Os receptores Cirrus da THINaër podem ser conectados a uma tomada de parede ou uma porta USB do PC, ou ainda utilizar a energia de uma bateria, para que possam ser anexados a paredes, tetos ou outras superfícies. Até agora, Merckling diz que a maioria das empresas usa os receptores conectados a computadores ou tomadas comuns.

Merckling, que foi diretor mundial de estratégia de software da IBM, fundou a THINaër como BlueKloud há 15 meses, para oferecer um solução que captura a localização e sensores de dados em tempo real e, em seguida, carrega para uma plataforma de software-as-a-service (SaaS) em seu próprio servidor, para permitir análises desses dados. A empresa de telecomunicações e gestão de dispositivos móveis Advantix comprou a BlueKloud em fevereiro de 2016 e, pouco depois, deu à empresa o seu nome atual.

A oferta da Advantix veio num momento em que a BlueKloud estava pronta para começar a testar seus produtos com os clientes, após cerca de um ano de desenvolvimento precoce. "Nós tínhamos chegado a um ponto no qual tínhamos de decidir se fazia sentido procurar capital de risco e investidores, ou encontrar um parceiro para aquisição", diz Merckling. Em última análise, observa, a BlueKloud e a Advantix concordaram com a aquisição.

"A Advantix tornou-se um ajuste perfeito", afirma Merckling. A vantagem para a THINaër, diz ele, é o acesso aos clientes da Advantix, garantido por dispositivos móveis e soluções baseadas em telecomunicações. "O fruto maduro para ROI é baseado em dados de localização, e a Advantix já sabe como ter essa conversa com os clientes".