RFID Noticias

Aquecimento e refrigeração usam Internet das Coisas

A empresa 75F, dos EUA, utiliza sensores e dados meteorológicos para controlar sistemas de ar condicionado de edifícios comerciais

Por Mary Catherine O'Connor

27 de junho de 2016 - Yoga tem tudo a ver com equilíbrio, consciência e estar em sintonia com a natureza. Certo? Não exatamente, explica Deepinder Singh, CEO da 75F, uma empresa com sede nos Estados Unidos (EUA) que vende uma solução inteligente de aquecimento, ventilação e ar condicionado (HVAC). "Isto pode representar desperdício de energia", diz.

Para deixar claro, Singh não menospreza yoga em si, mas a prática de estúdios aquecidos de um jeito sufocante, a 32 graus Celsius, em determinados tipos de aulas, como geralmente faz Bikram yoga ou derivados deste estilo. Isto é especialmente verdadeiro em Minnesota, durante o inverno.

Um sistema de aquecimento e arrefecimento baseado em Internet das Coisas
Vamos voltar 10 anos. Singh acabara de ser tornar pai, trabalhando como engenheiro de software em Minnesota, quando notou que o quarto de sua filha estava frio e que isto fazia ela despertar durante a noite. "A temperatura caía cerca de 10 graus no quarto, à noite", diz. E ele percebeu a causa: o termostato localizado no quarto principal recebia mais calor solar durante o dia.

Singh viu uma oportunidade. Se os sistemas de HVAC fossem concebidos de forma diferente para explicar as mudanças nos padrões de radiação em todo um edifício, poderiam garantir uma distribuição mais uniforme da temperatura. Assim, largou o emprego e lançou uma companhia conhecida como Suntulit, que desenvolveu ventilação controlável remotamente para manter cada quarto de uma casa a uma temperatura equilibrada, com base em uma programação diária estabelecida pelo proprietário.

Mas até 2012, a Suntulit ainda não tinha colocado o seu produto no mercado, mas uma empresa chamada Ecovent lançou uma solução similar, e Singh decidiu começar a 75F, uma empresa que iria se concentrar em inovar sistemas HVAC para pequenos e médios espaços comerciais, uma vez que é um mercado grande e inexplorado. Os edifícios de escritórios dos arranha-céus geralmente têm sistemas de climatização sofisticados, explica Singh, mas isso nem sempre é verdade para pequenas e médias construções, que compõem 94% do mercado imobiliário, de acordo com a US Energy Information Administration.

O produto de mesmo nome 75F utiliza monitores proprietários conectados a cada quarto. Esses monitores contêm sensores de temperatura, umidade, dióxido de carbono e de ocupação, e comunicam essas leituras para um gateway de controle central no edifício, através de um rádio proprietário de 900 MHz, a cada 60 segundos. O gateway está conectado à Internet e é controlado pela plataforma de software baseada em nuvem.