RFID Noticias

Aeroporto de Atlanta rastreia malas e aumenta segurança

A agência de transportes dos EUA está testando um sistema RFID para visualizar a localização de bagagens e imagens armazenadas de raio-X de seu conteúdo

Por Claire Swedberg

17 de junho de 2016 - A agência de transportes dos Estados Unidos (EUA) – U.S. Transportation Security Administration (TSA) – está testando uma solução RFID no Hartsfield-Jackson Atlanta International Airport, com o objetivo de acelerar o processo de triagem e segurança. O sistema automatizado, fornecido pela MacDonald Humfrey, está instalado em duas das 28 vias de triagem que a TSA opera no aeroporto. Uma esteira transporta os volumes diretamente pelas máquinas de raio-X, em seguida, os encaminha para uma seção separada para um exame mais aprofundado, se necessário, enquanto o sistema rastreia os itens carregados com base em imagens de câmera e tag RFID passiva.

A Delta Airlines pagou US$ 1 milhão para ajudar a testar o projeto, que está funcionando no ponto de verificação de segurança sul do aeroporto, utilizado principalmente pelos passageiros que voam Delta. O teste estará em curso nos próximos meses, diz Mark Howell, porta-voz regional da TSA. A TSA espera que o sistema automatizado aumente a eficiência de 25% a 30%, embora diga que será difícil identificar o quanto a eficiência é aumentada devido à RFID, uma vez que a tecnologia é apenas um elemento da nova solução.

Na entrada da máquina de raio-X, um leitor de RFID captura o número de identificação único codificado na tag, enquanto uma câmera tira uma foto de seu conteúdo
O tempo de espera para operações de segurança aérea tem crescido por uma variedade de razões, incluindo um orçamento reduzido da TSA para contratar pessoal e o aumento do número de malas que os passageiros levam a bordo dos seus voos. No aeroporto de Atlanta, recomenda-se aos passageiros chegar três horas antes da partida programada do voo, embora os tempos de espera atualmente sejam de 30 minutos ou menos. Problemas semelhantes foram relatados na maioria dos aeroportos dos EUA.

Mark Howell
Buscando soluções de base tecnológica, a TSA estreou as novas esteiras RFID poucos dias antes do Memorial Day, um dos mais movimentados feriados de viagem nos Estados Unidos. O aeroporto de Atlanta foi projetado para lidar com um recorde de 90.000 passageiros por dia, segundo a TSA. O objetivo, diz Howell, é testar a tecnologia no âmbito da alta pressão de um fim de semana de viagens.

Em primeiro lugar, ao chegar à frente da fila de segurança, os passageiros podem optar por proceder em uma das duas entradas de segurança automatizadas, cada uma tem cinco estações. Na estação escolhida, o passageiro coloca todos os itens a serem exibidos em uma única caixa, que é maior do que as caixas de triagem padrão e é destinada a manter todos os pertences de um mesmo indivíduo, incluindo sua mala de mão. O passageiro coloca o volume no transportador motorizado, e depois percorre a área de triagem pessoal.

Enquanto isso, a caixa que contém itens de passageiros é automaticamente movida para a máquina de raio-X, onde um leitor de RFID montado na entrada da máquina captura o número de identificação único codificado na tag da caixa, enquanto uma câmera tira simultaneamente uma fotografia dos conteúdos. Essa imagem e número RFID ficam relacionados entre si.