RFID Noticias

Impinj espera arrecadar US$ 60 milhões em IPO

A fornecedora de chips RFID, leitores e software está fazendo sua segunda tentativa de abrir capital com uma abordagem mais comedida do que a sua oferta anterior

Por Claire Swedberg

7 de junho de 2016 - A Impinj, companhia norte-americana de tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID), registrou seus planos de lançar uma oferta pública inicial de ações (IPO), com o objetivo de arrecadar US$ 60 milhões. A empresa diz que solicitou a listagem de suas ações ordinárias no mercado mundial NASDAQ sob o símbolo "PI", mas não indicou quantas ações espera emitir ou o preço inicial de oferta.

Esta é a segunda vez que a Impinj entra com um pedido de IPO. A empresa procurou levantar US$ 100 milhões em abril de 2011, mas retirou sua oferta de 15 meses mais tarde. Sua receita em 2011 foi cerca de metade do que é atualmente e neste ano a abordagem está sendo considerada mais comedida, de acordo com Bill McBeath, chefe de pesquisa da ChainLink Research. "Parece que estão mais moderados, mais realistas em expectativas desta vez", diz ele, acrescentando que a oferta é uma indicação da trajetória ascendente de ambos Impinj e da indústria. "Eu acho que é um sinal de que a indústria está saudável".

Na preliminar que a Impinj mandou à SEC, a empresa indicou que detém uma parcela de 65% do mercado dos chips de RFID UHF passivos compatíveis com o padrão RFID EPC Gen 2, ao qual a Impinj se refere como o padrão RAIN. A empresa estimou que cerca de 70% do volume de leitores fixos usam seus chips de leitura, assim como "a maioria dos leitores portáteis", e ainda afirmou já ter vendido 13 bilhões de tags e ICs (circuitos integrados).

De acordo com o prospecto preliminar, nos últimos três anos a companhia tem sido rentável em chips, leitores e software. Em 2015, a Impinj começou ganhando US$ 78,5 milhões de receita total, acima dos US$ 63,8 do ano anterior. Durante o primeiro trimestre deste ano, ganhou US$ 21,6 milhões em receitas, um aumento de 34,6% em comparação com os US$ 16,0 milhões que ganhou nos primeiros três meses de 2015.

Sobre os dados financeiros positivos, a Impinj expressa a seguinte ressalva: "Nós temos incorrido em perdas desde o seu início de 2000 e só nos tornamos lucrativos em 2013. Embora tenha havido lucro líquido de US$ 297.000 e US$ 900.000 em 2014 e 2015, respectivamente, tivemos um déficit acumulado de US$ 187.600.000 em 31 de março de 2016. Nossa capacidade de aumentar ou sustentar a rentabilidade depende de inúmeros fatores, muitos dos quais estão fora do nosso controle. Esperamos gastos significativos para apoiar as operações, desenvolvimento de produtos e negócios e expansão do número de funcionários em vendas, engenharia e marketing como uma empresa pública. Se não conseguirmos aumentar a nossa receita ou gerencia nossas despesas, não podemos aumentar ou sustentar a rentabilidade no futuro".

A empresa se recusou a comentar sobre a oferta. "Dadas as restrições da lei de valores mobiliários relacionados a ofertas públicas iniciais", diz Erika Bitzer, de marketing e comunicação da Impinj, "não podemos comentar sobre os nossos planos para IPO além do que temos divulgado na nossa declaração de registro". No entanto, de acordo com a sua apresentação, a empresa informa que vai usar os recursos que receber do IPO para desenvolver novos produtos e expandir os que já oferece, mas também espera usar US$ 5 milhões desses recursos para saldar a dívida.