RFID Noticias

Roupas podem melhorar desempenho de atletas

Empresas como Microsoft, Hexoskin e Analog Devices criaram parceria para trazer soluções para acompanhar a performance de esportistas

Por Mary Catherine O'Connor

27 de maio de 2016 - Pense em uma versão full-contact do beisebol, combine com hóquei e futebol, e você terá uma ideia de como o esporte irlandês hurling é jogado. A modalidade exige enormes demandas físicas de jogadores de elite e uma equipe da Gaelic Athletic Association está testando um colete equipado pela empresa canadense Hexoskin com sensores fornecidos pela Analog Devices, para avaliar se o colete – com dados fornecidos pela Microsoft – ajuda a personalizar o treinamento de cada jogador, com base em métricas de desempenho individuais.

A Microsoft está usando seu mecanismo Azure IoT (de Internet of Things ou Internet das Coisas), que hospeda dados na nuvem, para recolher e analisar as informações dos coletes. Isto fornece informações personalizados sobre o desempenho do jogador, ao mesmo tempo, sinalizando padrões e anomalias nos dados que poderiam indicar jogadores específicos experimentando problemas de desempenho ou susceptíveis a sofrer lesões.

O colete contém um monitor de frequência cardíaca Analog Devices ECG, bem como um acelerômetro para controlar os movimentos de um jogador e a taxa de respiração, controlando o número de vezes que a sua cavidade torácica se expande e esvazia por minuto. Um rádio Bluetooth integrado ao colete transmite os dados armazenados nos sensores, para emparelhamento com smartphones, tablets ou computadores com Bluetooth. Os sensores podem funcionar por até 14 horas antes de precisar de recarga por um cabo USB.

A Hexoskin e as empresas parceiras acreditam que o colete pode fornecer um novo nível de visibilidade para os gerentes da equipe profissional, diz Jason Lynch, diretor de estratégia de Internet das Coisas da Analog Devices. O feedback inicial dos jogadores, acrescenta, indica que o colete é mais confortável do que outros sensores que têm usado, como monitores cardíacos ligados a uma cinta em volta do peito.

Saber com a maior antecedência possível se um jogador não está 100%, devido tanto a uma lesão em estágio inicial ou outra questão relacionada com a saúde, pode ser um benefício para treinar o pessoal, diz Lynch, porque poderia informar sua decisão a respeito de se tirar jogadores de treinamento ou do jogo. Isso, diz ele, pode ajudar a reduzir as chances de uma lesão significativa.