RFID Noticias

Startup cria sistema IoT com uso de drones

Solução de empresa brasileira realiza rastreamento, inventário e localização de produtos por meio de leitor RFID e sensores acoplados a um veículo aéreo não tripulado

Por Edson Perin

29 de abril de 2016 - A startup brasileira SmartX acaba de anunciar uma inovação no segmento de soluções empresariais com base na tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) passiva e ativa. Por meio do uso de drones ou UAV (do inglês, unmanned aerial vehicle ou veículo aéreo não tripulado), em parceria com a empresa norte-americana Skyfire Drones, a SmartX tornou possível o desenvolvimento da ferramenta voadora de rastreamento, localização, captura de dados telemétricos e controle de inventário em grandes áreas, inclusive ao ar livre.

A solução Drone SmartX pretende tornar o uso de drones acessível aos usuários corporativos, permitindo conectar tags RFID, sensores e/ou beacons Bluetooth Low Enegy (BLE) diretamente à plataforma da startup brasileira, que opera em nuvem.

Carlos Ribeiro, com o drone que lê tags RFID e beacons: pronto para rastreamento e localização em grandes áreas, inclusive ao ar livre
“A plataforma UAV SmartX Hub recolhe dados de ativos de várias fontes, tais como beacons ou tags passivas UHF, GPS ou sensores, e transforma esses dados em processos de negócios automatizados na nossa plataforma de software”, explica Carlos Ribeiro, sócio-fundador da SmartX e que hoje dirige a filial da empresa em Orlando, nos Estados Unidos.

“Nós exploramos as inovações tecnológicas dos drones para implantar soluções de Internet das Coisas [IoT]”, explica Ribeiro. “Nossa plataforma foca em robôs móveis que interagem com tags para executar tarefas, tais como: sensores de umidade do solo, monitoramento remoto de safras, infraestrutura, qualidade da água etc.”.

A SmartX pretende disponibilizar a solução para uma ampla gama de setores, incluindo petróleo e gás, agricultura, transportes, governo, energia e manufatura. “Nossas soluções de software e de hardware estão na vanguarda da tecnologia UAV”, garante Ribeiro. “O objetivo é oferecer, em tempo real, localização, condição e eventos relevantes para os negócios”.

De acordo com Matt Sloane, diretor da Skyfire, a primeira parte do projeto foi executar a contagem física dos objetos e sua localização por GPS e, a partir disto, gerar a visibilidade e a automação dos drones.

“Como exemplo”, diz Sloane, “a partir de um voo de drones, o sistema pode automaticamente detectar visitantes em zonas não autorizadas e tocar alarmes de segurança ou verificar o tempo de permanência de um caminhão em uma determinada área”. “Assim”, acrescenta, “o drone se comporta como o novo chefe e aumenta o SLA [Service Level Agreement ou acordo de nível de serviços] com a automatização da coleta de dados por via aérea”.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »