RFID Noticias

Biomecanica reduz em nove vezes o tempo de expedição

A empresa brasileira especializada em próteses ortopédicas consumia três horas de trabalho em um processo que, com RFID, caiu para 20 minutos

Por Edson Perin

25 de fevereiro de 2016 - Quando uma empresa nasce de uma inspiração pessoal, certamente a inovação já faz parte do seu DNA. Um exemplo disso é a brasileira Biomecanica, fabricante de próteses ortopédicas, criada pelo engenheiro mecânico José Roberto Pengo, que desenhou uma peça para uso cirúrgico que se tornou o ponto de partida de sua companhia. Após quase três décadas de sucesso, a Biomecanica está inovando a sua área de expedição com identificação por radiofrequência (RFID), que tornou possível reduzir em nove vezes um processo com um total de quatro etapas.

As quatro fases (separação, conferência, faturamento e envio) eram realizadas item a item, manualmente, com leitores de códigos de barras. Assim, para separar um pedido de 200 peças, todo o processo – desde a separação até o envio – levava em torno de três horas de trabalho. Hoje, com RFID, as atividades para um lote de mesmo porte passaram a demandar apenas 20 minutos.

Cabine utilizada para as etapas de conferência e faturamento com o sistema RFID
Após a implantação da RFID, três das quatro etapas do processo do setor de expedição foram otimizadas. Na primeira fase, de separação, os ganhos foram na rapidez e exatidão dos itens selecionados para cada pedido, o que trouxe confiabilidade sobre os produtos disponíveis em estoque.

Na segunda fase, a de conferência, a contagem dos itens de cada pedido passou a ser realizada em larga escala, com uma grande quantidade de produtos sendo lidos automaticamente e sem a necessidade de manipulação, item a item. A terceira fase, de faturamento, foi facilitada e agilizada em função de as duas primeiras fases oferecerem garantias de que 100% dos produtos coletados fazem parte daquele pedido, evitando assim atrasos de entrega e gerando tranquilidade aos clientes.

Outra grande mudança foi no envio dos embarques, ou seja, na expedição dos pedidos, que agora são conferidos por RFID. A checagem entre o pedido e o que está sendo enviado para os clientes acontece nesta parte do processo, em uma cabine com leitores Acura EDGE 50.