RFID Noticias

Segurança de estádio testa IoT para revistar visitantes

O Levi's Stadium, dos Estados Unidos, está usando tecnologia como alternativa às inspeções manuais e visuais de bolsas e pertences do público

Por Claire Swedberg

7 de janeiro de 2016 - O Levi's Stadium, que abriga a equipe San Francisco 49ers, da norte-americana National Football League (NFL), está usando uma solução com sensores para oferecer uma maneira menos intrusiva de revistar malas e pertences de visitantes. A solução, fornecida pela Qylur Intelligent Systems, usa a tecnologia de Internet das Coisas (IoT) para melhor identificar os itens que passam pelo sensor.

O sistema, conhecido como Qylatron Entry Experience Solution, foi testado no Levi’s Stadium por aproximadamente seis semanas. Segundo Jim Mercurio, gerente geral e vice-presidente de operações do estádio, o sistema tem sido usado para passeios e eventos privados. A solução substitui o método manual e visual de inspecionar malas e pertences de visitantes antes de entrarem.

No Levi’s Stadium, o visitante coloca sua bolsa em um dos cinco pods de digitalização do Qylatron
O Levi’s Stadium, localizado em Santa Clara, na Califórnia, é um estádio de futebol com capacidade para 68.500 pessoas. Os jogos de futebol, bem como concertos e outros eventos de grande porte, são realizadas no estádio, ao mesmo tempo que proporciona passeios para grupos, durante a semana. Em 2016, o local será utilizado para o Super Bowl 50.

O estádio, de acordo com as regras de segurança da NFL, proíbe a entrada de mochilas e outros grandes volumes. Qualquer visitante que traz uma bolsa ou sacola deve abri-la para que um membro da equipe verifique visualmente se todos os itens são aprovados, evitando armas ou algo que possa ser usado como tal.

Recentemente, um grupo com a segurança do estádio, serviços ao cliente, operações e departamento de marketing começou a analisar a tecnologia Qylur como um meio de tornar o processo de revista mais simples, rápido e fácil. "Estamos sempre à procura de tecnologias para melhorar nossas aplicações de segurança", diz Mercurio. Então, em setembro, o estádio instalou o dispositivo para testar como os visitantes reagiriam a ele.