RFID Noticias

Siniav começa cobrando pedágios

Segundo a ANTT, todas as rodovias federais brasileiras pedagiadas já operam com leitores para tags veiculares baseadas na tecnologia RFID

Por Edson Perin

22 de julho de 2015 - Demorou, mas parece que agora vai. Finalmente está saindo do papel e ganhando o mundo real o projeto para uso da tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) em tags veiculares, seguindo o padrão definido pelo Governo Federal para o chamado Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav). O objetivo da iniciativa, de acordo com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), é permitir que, com uma única tag veicular, seja possível circular por toda a malha rodoviária federal, estadual e municipal, pagando pedágios automaticamente. No começo, a interoperabilidade será entre as rodovias federais e as estaduais paulistas e paranaenses.

Todas estas rodovias que já iniciaram a cobrança de pedágio por meio de tags veiculares estão aptas a prestar o serviço. Atualmente são 17 concessionárias que já utilizam o sistema e, nos próximos dois meses, a meta é chegar a 20 concessões. Para abordar os motoristas e estimular a adoção das tags, a ANTT afirma que a abordagem tem variado de acordo com a empresa que comercializa os dispositivos, podendo ser em postos de serviços, ao longo da rodovia, em bases operacionais, em praças de pedágio ou até mesmo pela internet.

Praça de pedágio da rodovia Nova Dutra: uso de tags reduz filas e aumenta eficiência
Dentre as quinze rodovias federais com praça de pedágio, nove já operam com a infraestrutura para a nova tecnologia. As rodovias Nova Dutra (BR-116/RJ/SP), Régis Bittencourt (BR-116/SP/PR) e Fernão Dias (BR-381/MG/SP) foram as primeiras a adotar o sistema. A Ponte Rio-Niterói (BR-101/RJ) e as rodovias Fluminense (BR-101/RJ), Eco101 (BR-101/ES), ViaBahia (BR-116/324/BA) e Concepa (BR-290/116/RS) também já iniciaram as atividades.

A tag do Siniav é um dispositivo que possui diversas utilidades, a exemplo de passagem automática em praças de pedágio e estacionamentos, entre outros. A ANTT não dispõe de informações quantitativas sobre as tags já em uso, uma vez que não existe exclusividade de uso para praças de pedágio, mas contabiliza as passagens automáticas nos pedágios. Ou seja, no mês de junho houve aproximadamente 11,5 milhões de passagens de veículos, com a nova tecnologia de 915 Mhz.

O especialista em regulação da ANTT Marcelo Leismann explica como funciona o sistema. "A cobrança de pedágio nas pistas automáticas é realizada por meio da leitura da tag instalada no veículo, que ao se aproximar da cancela é lida e processada, e, no caso de não haver nenhum impedimento ou pendência contratual, a cancela é aberta automaticamente. A velocidade para uma operação segura é de 40 km/h nas ilhas de cobrança".