RFID Noticias

Sem extravios, passageiros voam felizes

Dispositivos podem ajudar viajantes a ficar conectados com suas malas e proporcionar às companhias aéreas e aeroportos um novo programa de marketing

Por Mary Catherine O'Connor

3 de julho de 2015 - Enquanto você lê este texto, uma bagagem – não pertencente a um viajante real, mas um teste – pode estar sendo transportada via aérea em um voo da KLM Royal Dutch Airlines. A empresa está hospedando a primeira fase de um teste de prova de conceito para eTag and eTrack, duas etiquetas de bagagem eletrônicas desenvolvidas pela FastTrack Co., startup sediada em Londres e Amsterdã. Os dispositivos permitirão que os passageiros usem seus smartphones para rastrear suas malas.

Se você fosse um passageiro do voo da US Airways, em 2007, isto soaria como música para seus ouvidos. Naquele ano, a companhia aérea teve com problemas com a bagagem despachada de um em cada 118 passageiros. Na verdade, 2007 marcou um ponto baixo em manuseio de bagagens em todas as companhias aéreas, com o U.S. Department of Transportation mostrando que 7,03 em cada 1.000 passageiros experimentou problemas com bagagem despachada naquele ano. Mas graças aos investimentos das companhias aéreas em tecnologia, uma queda no volume de malas devido às altas taxas de check-in, o serviço foi melhorado em mais de 50% até 2013. A US Airways teve uma redução de 70% em extravios.

The eTag
Essa melhoria levanta a questão: passageiros precisam de uma melhor maneira para rastrear suas malas? Eles vão pagar por isso? David van Hoytema, CFO e co-fundador da FastTrack, responde com um sonoro sim.

"As pessoas estão estressadas quanto às suas malas", diz van Hoytema. "Quando despacham uma mala, as pessoas olham como se pudessem ver tudo na correia transportadora. Quando estão esperando as malas na chegada, formam uma multidão em torno das esteiras". Ele cita uma pesquisa da consultoria de viagens CWT Solutions Group, mostrando que 80% dos viajantes expressam o risco com a perda de suas malas como sua preocupação principal nas viagens aéreas.

Para os testes atuais, a Air France-KLM está servindo como um host, ajudando os engenheiros da FastTrack a assegurar que a tecnologia sem fio dos dispositivos funciona como deveria e em conformidade com os regulamentos nacionais. O órgão que regula a tecnologia sem fio usado em voos comerciais na Europa é a European Aviation Safety Agency (EASA). "Outras regiões e países têm corpos semelhantes que tendem a seguir regulamentos da AESA ou da FAA [Federal Aviation Administration]". Acreditamos que se tomarmos a abordagem mais rigorosas – as da EASA – vamos estar em conformidade com outras regiões", diz van Hoytema.