RFID Noticias

Novo app encontra vagas de estacionamento

Empresa usa dados de localização de motoristas com seu aplicativo de navegação para visualizar tráfego e disponibilizar estacionamento

Por Mary Catherine O'Connor

24 de junho de 2015 - As cidades têm instalado sensores ao longo de ruas com o intuito de melhorar o gerenciamento do fluxo de tráfego e da disponibilidade de vagas de estacionamento. Devido à proliferação de sistemas de navegação para carros e smartphones, a INRIX, dos Estados Unidos (EUA), criou um conjunto de produtos ao longo de 10 anos para usar as leituras dos sensores para fornecer dados utilizáveis tanto por motoristas como pelos municípios.

Por exemplo, a aplicação INRIX Traffic, acessível por um aplicativo de smartphone e por sistemas de navegação in-car de veículos (incluindo os da Audi, Lexus, Volkswagen, BMW, Toyota e Tesla), ajuda os motoristas a encontrar os percursos mais rápidos do ponto A para B em cidades de mais de 30 países.

App de estacionamento da BMW
Há poucas semanas, a INRIX anunciou seu mais novo produto, o INRIX On-Street Parking, um aplicativo que orienta os motoristas sobre vagas de estacionamento disponíveis nas ruas, com informações sobre preços (quando há tarifa) e localização. A BMW será a primeira fabricante de automóveis a introduzir o produto, como parte de um novo sistema de navegação que estará estreando nos seus modelos de 2016.

Mas ao longo do tempo, diz o diretor da INRIX Jim Bak, a empresa pretende se tornar menos dependente de sensores de tráfego construídos com este propósito. Mais e mais, a empresa pretende ser capaz de alavancar os dados de localização transmitidos pelos smartphones e sistemas de navegação de bordo executando sua aplicação. Como este conjunto de dados "crowdsourced" cresce, explica ele, os seus serviços serão possíveis até em cidades que não possuem redes de sensores de tráfego.

"O desafio para as cidades é que, para tornar as redes de sensores escaláveis, é preciso investir e colocá-los em todos os lugares", diz Bak, observando que San Francisco decidiu parar de expandir o seu programa SFpark, que começou a testar em 2006, devido às baterias dos sensores que começaram a chegar ao fim do seu ciclo de vida.

A INRIX é capaz de alimentar os dados da sua aplicação de estacionamento na rua através da coleta de informações sobre o uso de estacionamentos com ligação à internet, combinadas por dados de localização anônimos dos apps da INRIX em smartphones, bem como a partir dos carros com app INRIX Traffic.