RFID Noticias

Empresas usam sensores diante da seca

Departamento de Recursos Hídricos da Califórnia, nos EUA, tomou medidas sem precedentes para reduzir o consumo de água

Por Mary Catherine O'Connor

17 de abril de 2015 - Pela primeira vez em 75 anos, os funcionários do Department of Water Resources (DWR) – o departamento de água da Califórnia, nos Estados Unidos (EUA) – realizam sua pesquisa anual sobre a disponibilidade de neve e não encontraram absolutamente nada para medir no local a 6.800 metros de altitude, na Sierra Nevada. De pé na grama, que deveria estar enterrada com pelo menos 5 metros de neve durante um ano típico, o governador da Califórnia, Jerry Brown, deu um passo sem precedentes, direcionando o DWR a trabalhar com 400 agências de abastecimento de água locais para reduzir o uso de água em 25%.

Enquanto 80% da água consumida na Califórnia é usada para a agricultura, em centros urbanos de lá e em todo o país, 58% da água é utilizada para paisagismo e irrigação, de acordo com o U.S. Environmental Protection Agency (a agência de proteção ambiental dos EUA). No que diz respeito à conservação, a economia representaá uma grande oportunidade, não apenas em preservação da água, mas também de energia. Na Califórnia, 19% do total das despesas de energia vai para a limpeza e transporte de água.

A parceria entre IBM e o braço de negócios do The Weather Channel, Weather Services International (WSI), destaca o valor que os dados de precisão do tempo têm para empresas de todos os tipos. A IBM e a WSI estão desenvolvendo ferramentas para antecipar os principais eventos climáticos e, em seguida, aproveitar a Internet das Coisas e a análise de dados para mitigar a estimativa de perdas de US$ 500 bilhões relacionadas ao clima que as empresas sofrem anualmente. Mas dados meteorológicos também podem ser utilizados para melhorar a forma como as empresas utilizam e gerem seus recursos de água e não apenas quando a seca obriga a tomar medidas drásticas.

"Em 2002, quando fundou a empresa, vimos que a água se tornaria um grande problema e que teríamos de tomar decisões sobre como usar a água", diz Christopher Espanha, CEO da HydroPoint, que fornece a plataforma WeatherTrak. Por meio de uma combinação de controladores de irrigação, sensores, estações meteorológicas e aplicações e serviços baseadas na nuvem, a WeatherTrak automatiza e otimiza horários de irrigação com base em uma série de fatores, desde espécies de plantas, tipo de solo e topografia para a taxa estimada de previsões de evaporação e do tempo .

A maioria das empresas acham que a água é um recurso abundante, diz Espanha. "Quando você tem abundância, você acaba em desperdício sistêmico", afirma. "Se não é escasso, para que eu me preocuparia? Esse tipo de pensamento é o problema".

Mas ao longo dos anos, a HydroPoint tem sido capaz de mostrar às empresas que podem economizar dinheiro por meio da conservação de água. Os clientes – que incluem Walmart, Target, Kohl's, Lockheed Martin e uma série de empreendimentos habitacionais e da cidade de Santa Clarita, na Califórnia, conseguiram retorno sobre o investimento no prazo de dois anos, segundo Espanha. Alguns clientes, que implantaram o sistema HydroPoint em múltiplas propriedades, economizaram até 10 bilhões de litros de água em um único ano.

De acordo com Espanha, a hora da vingança está intimamente relacionada com a escalabilidade e tamanho da empresa. Uma loja do Walmart que precisa irrigar um hectare poderia alcançar o retorno em 18 meses, diz ele, enquanto um campus de escola que tem área cultivada e de irrigação muito maior pode levar mais tempo para isso.

A WeatherTrak recolhe mais de 8 milhões de pontos de dados por dia, a partir de mais de 40.000 sensores, variando de estações meteorológicas, sistemas de radar e radiossondas (balões meteorológicos que medem os níveis de pressão, temperatura e umidade relativa do ar em altitudes que chegam a 35 mil metros), estações oceânicas e instrumentação montado em aeronaves. Em seguida, usa um processo chamado de Weather Research and Forecasting (WRF) Model, desenvolvido por uma série de agências governamentais, incluindo o National Center for Atmospheric Research (NCAR) e a National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA). Então, utiliza os dados para gerar previsões relativas à taxa de evapotranspiração em cada local.