RFID Noticias

Sistema monitora pacientes com Alzheimer

A empresa GTX, que já fornece uma solução baseada em GPS para monitorar pacientes com doenças cognitivas, criou uma versão Bluetooth

Por Mary Catherine O'Connor

12 de fevereiro de 2015 - De acordo com a Alzheimer Association, dos Estados Unidos, mais de 5 milhões de norte-americanos já estão diagnosticados com a doença e um novo caso é descoberto a cada 67 segundos. Prestar cuidados para pessoas com Alzheimer e outras doenças cognitivas é desafiador, especialmente em se tratando de monitorar a localização dos pacientes para garantir sua segurança em todos os momentos.

A GTX Corp., uma empresa de Los Angeles que fornece dispositivos e serviços de rastreamento e localização, começou a vender o GPS SmartSole um ano atrás. O GPS SmartSole é uma palmilha com um módulo GPS recarregável feita pela Telit Wireless. Quando um usuário está ao ar livre, o módulo transmite suas coordenadas de GPS, que são convertidas em um mapa sobre sua localização, permitindo aos entes queridos ou "cuidadores" acessar as informações pelo portal da SmartSole ou aplicativos de smartphone. Para isto, a empresa cobra uma taxa de assinatura mensal que varia de US$ 30 a US$ 50, além de US$ 299 pelo produto.

A palmilha BLE SmartSole da GTX
Agora, a GTX lançou a BLE SmartSole. Em vez de um módulo GPS, esse produto contém um beacon (tag ativa) Bluetooth integrado, feito pela BluVision, que transmite um sinal BluFi, um sensor Bluetooth-para-WiFi que a BluVision também oferece. Através da rede Wi-Fi da instalação, os dados são encaminhados aos servidores baseados em nuvem da BluVision, onde os dados são filtrados e enviados para o software SmartSole por uma interface de programação de aplicativos (API). A GTX irá comercializar o BLE SmartSole para as instalações de assistência e de enfermagem.

Patrick Bertagna, CEO da GTX, diz que a palmilha é uma excelente forma de se utilizar um dispositivo de rastreamento para idosos, uma vez que evita o estigma associado com pulseiras ou pingentes que outros sistemas de rastreamento empregam. "Os pacientes não querem ser estigmatizados com um dispositivo de rastreamento", diz ele. "Colocando tal dispositivo dentro do sapato, não há este problema".

Além disso, o sistema permite que apenas os pacientes usando sapatos com as palmilhas sejam rastreados e localizados pelo sistema SmartSole. Então, a equipe da instalação não seria alertada se, por exemplo, outro paciente fosse passear fora da cama.

Bertagna diz que sua empresa optou por empregar a tecnologia Bluetooth para o seu sistema de monitoramento interno devido à facilidade de uso e processo de instalação simples, em comparação com outros sistemas de rastreamento.

"Com outras formas de identificação por radiofrequência (RFID), por exemplo, a instalação pode se tornar mais cara, por exigir leitores e repetidores, que precisam ser instalados por um profissional, enquanto o BluFi é plug-and-play", explica Bertagna. "Um administrador pode configurar uma instalação inteira [sem ter grandes conhecimentos técnicos]".