RFID Noticias

Editorial: Observações sobre a NRF, Parte II

Provedores de soluções RFID exibiram aplicações de varejo "secundárias"

Por Mark Roberti

30 de janeiro de 2015 - Na coluna da semana passada, compartilhei algumas observações da conferência Big Show 2015 , da National Retail Federation (veja em Part 1). Em particular, entre as empresas de identificação por radiofrequência (RFID) expositoras, houve um forte impulso para tornar as soluções mais fáceis de usar e implantar em uma cadeia de lojas. Agora, gostaria de compartilhar mais algumas observações.

No ano passado, todo o ruído no Big Show foi sobre análise de dados. Achei isso curioso, uma vez que a precisão do inventário é de apenas 60% a 65% na maioria das lojas, tanto pelos dados ruins que os varejistas têm e por realmente não haver uma maneira tão fácil de capturar informações sobre o comportamento dos clientes nas lojas, como há online. Neste ano, não havia muito sobre análise de dados. Parecia que a maioria dos fornecedores queria desta vez empurrar soluções móveis e de omnichannel. Novamente, é difícil realizar omnichannel no varejo sem RFID, porque você não tem a precisão e visibilidade de dados de inventário para ser capaz de atender os pedidos vindos de vários canais.

Clique aqui e leia o artigo na íntegra.

  • « Anterior
  • 1
  • Próximo »