RFID Noticias

Beacons geram serviços e informações em parques

SeaWorld e Zoo de Los Angeles estão testando solução para entregar conteúdo aos usuários de smartphones em exposições, restaurantes e lojas de presentes

Por Claire Swedberg

22 de janeiro de 2015 - O Los Angeles Zoo e o SeaWorld, nos Estados Unidos, lançaram recentemente uma solução fornecida pela The Experience Engine (TE2) que traz dados aos visitantes pelos smartphones, com um aplicativo que oferece informações por beacons Bluetooth Low Energy (BLE) implantados ao longo dos parques. No zoológico de Los Angeles (LA), os visitantes podem usar seus telefones para fazer visitas guiada, enquanto o SeaWorld instalou beacons em todo o seu parque em Orlando, Fla, com capacidade de apresentar informações baseadas na localização de cada visitante.

Em ambos os casos, o sistema TE2, que emprega beacons movidos a bateria da Gelo, tem como objetivo trazer informações para os telefones dos visitantes, indicando onde estão localizados, o que podem olhar e o que mais está disponível nas suas proximidades.

O beacon Gelo
Os beacons Gelo são projetados para instalações ao ar livre personalizadas, diz Al Juarez, diretor de vendas e desenvolvimento de negócios da Gelo. Os beacons são construídos para serem robustos o suficiente para todas as condições meteorológicas e ter uma vida longa da bateria. De acordo com a empresa, cada sinal fornecido com duas baterias pré-instalado AAA (substituíveis por meio de uma chave de fendas), tem um tempo de vida operacional esperado de, pelo menos, dois anos. No zoológico de LA, a solução TE2 é composta por 40 beacons Gelo instalados em toda a exposição Rainforest. Cada farol transmite um número de identificação exclusivo para smartphones nas proximidades, permitindo que esses telefones, se são carregados com a app para acessar os dados da exposição, tem foco em um determinado animal ou ambiente que está sendo apresentado, de acordo com Kait Hilliard, VP de marketing da Greater Los Angeles Zoo Association (GLAZA), que opera o jardim zoológico.

O SeaWorld já havia lançado o seu guia por app para telefones e tablets Apple iOS e Android, a fim de enviar aos visitantes ofertas promocionais, informações sobre animais e estado de conservação, informações básicas do parque e um mapa com base em GPS para ajudar os clientes a navegar no parque ou descobrir onde estacionaram seu carro. Agora, diz Darla Morse, CIO do SeaWorld, com a adição das funcionalidades baseadas em beacon TE2, o parque também pode fornecer de localização específica ofertas especiais de lojas de presentes e restaurantes quando os indivíduos se aproximam desses estabelecimentos.

Darla Morse
A TE2 foi formada depois que seu fundador, Scott Sahadi, vendeu sua empresa de serviços de TI. Com grande experiência no espaço de entretenimento, inclusive para Disney e outros resorts, Sahadi destinou a TE2 a desenvolver e fornecer plataformas de software que permitam aos consumidores receber dados personalizados com base em sensores, tais como dispositivos portáteis ou móveis.

Para permitir que os clientes gerenciem os dados e façam alterações no que compartilham, a TE2 oferece uma interface de software conhecida como Mission Control (Controle da Missão). Os aplicativos da empresa trabalham com Wi-Fi e RFID, bem como Bluetooth beacons.

A empresa começou a trabalhar com o Jardim Zoológico de Los Angeles, em 2013, quando o zoológico começou a planejar sua nova exposição Rainforest. O Jardim Zoológico e Jardim Botânico recebem 1,6 milhões de visitantes anualmente e sua área de 113 hectares, tem uma coleção de 1.100 animais, abrangendo um total de 250 espécies. A exposição Rainforest abriu em maio e incluiu beacons como parte da exposição para permitir o tour virtual. Quando o visitante se aproxima da exposição, o seu telefone com a app da TE2 recebe uma transmissão local, fazendo com que a Rainforest of the Americas app capture informações sobre animal ou habitat na exposição. Os usuários podem então percorrer os dados, ver vídeos, ouvir arquivos de áudio ou ver fotos. O aplicativo está disponível apenas para iPhones e outros dispositivos Apple iOS, diz Hilliard, mas acabará por ser disponibilizado para telefones baseados em Android, embora não haja prazo para a liberação.