RFID Noticias

Vestuário inteligente ajuda a atingir metas

As empresas de tecnologia, têxteis e eletrônicas estão somando seus conhecimentos para criar equipamentos de treino inteligentes

Por Mary Catherine O'Connor

8 de dezembro de 2014 - A DuPont não é uma estranha no mundo do vestuário, como Michael Burrows, gerente de desenvolvimento de negócios da empresa, disse aos participantes da wearable technology conference (conferência de tecnologia "vestível"), da IDTechEx, em novembro. Afinal, diz ele, a empresa comercializa nylon e lycra.

Agora, por meio de sua divisão de Microcircuit Materials, a DuPont está aplicando seu know-how em Internet das Coisas, por meio do desenvolvimento de elásticos, tintas eletrônicas de tela-impressão para uso em eletrônicos portáteis. Trabalhando com a empresa de vestuário Clothing+, fabricante finlandesa de roupas esportivas com sensores biométricos integrados, e a Maxim Integrated, desenvolvedora de dispositivos analógicos integrados, a divisão Microcircuit Materials criou uma camisa protótipo com um sistema integrado de electrocardiograma (ECG), incluindo sensores de temperatura e de movimento.

Uma amostra dos produtos eletrônicos impressos da DuPont
As tintas elásticas da DuPont também são usados em uma camisa de nylon coberto de sensores, produzidos em parceria com as marcas de vestuário Ralph Lauren e a startup OMsignal, que estreou como uniforme no US Open de tênis deste ano, em Nova York.

A DuPont desenvolveu dois produtos específicos: um condutor elástico e um material dielétrico encapsulado elástico composto de poliuretano termoplástico. Os fabricantes podem usar ambas as versões com processos de impressão de tela convencionais para depositar circuitos finos sobre têxteis e proteger esses eletrônicos.

Manequim vestido com a camisa de treino integrada ao protótipo de sensor
De acordo com Burrows, que ajuda a desenvolver materiais avançados para armazenamento de energia solar e bio-sensores na DuPont, o sistema eletrônico impresso pode ser lavado na máquina comum até 100 vezes sem sofrer qualquer perda de desempenho. No estande da DuPont, uma amostra de nylon com os materiais impressos pode ser torcida e esticada com força, sem impacto negativo aparente sobre a integridade do material.