RFID Noticias

Singapura trata mais pacientes com câncer

Organização aumenta atendimento em 20% com etiquetas RFID ativas para controlar o fluxo de pacientes, farmacêuticos e enfermeiros

Por Claire Swedberg

9 de outubro de 2014 - Pacientes do National Cancer Centre Singapore (NCCS) agora têm um tempo de espera mais curto para quimioterapia, graças ao uso de tags ativas UHF e leitores RFID. Desde a instalação do sistema em 2011, o centro descobriu que pode tratar 20 por cento mais pacientes, reduzindo tempo de espera em oito por cento e agendando 56 por cento dos pacientes para receber tratamento em 30 minutos.

O NCCS trata atualmente mais de 35 mil pacientes de quimioterapia anualmente. A unidade dispõe de 54 poltronas de quimioterapia nas quais os pacientes recebem seus tratamentos durante períodos agendados. Sem RFID, garantir que uma cadeira vazia fosse usada rapidamente pelo próximo paciente e, assim, minimizar o tempo de espera, era um grande desafio para a administração. Um membro da equipe tinha de caminhar até cada quarto e determinar visualmente quais cadeiras estavam prontas para os próximos pacientes e, em seguida, notificar os pacientes na sala de espera. Isso significava que as cadeiras poderiam, muitas vezes, permanecer vazias por mais tempo do que o necessário.

Tony Liang, vice-diretor da IHiS, e Mag Tan Wooi Lin, enfermeira sênior
"Devido à complexidade do tratamento de quimioterapia", diz Mag Tan Wooi Lin, enfermeira sênior do NCCS, "precisávamos de um sistema que permitisse saber em tempo real da disponibilidade de nossos recursos [as cadeiras] e agendamentos, de modo a trabalhar com eficiência e reduzir o tempo de espera de cada paciente. "O centro começou a procurar por uma solução de RFID em 2009 e optou por desenvolver um sistema específico para este caso de uso, assistido pela empresa de TI para saúde Integrated Health Information Systems (IHiS), a integradora de sistemas Singapore Communications (Wavex) Pte. Ltd. e a fornecedora de software Evantek Pte. Ltd., de acordo com Tony Liang, vice-diretor da IHiS.

O sistema resultante, conhecido como Real-time Ambulatory Patient Information Deployment Enabler (RAPIDE), foi criado para usar RFID ativa para identificar os locais de pacientes e pessoal. Os leitores RFID podem, então, ser usados para confirmar que um indivíduo está sentado em uma cadeira especial. A IHiS fez o desenvolvimento e instalação do projeto, usando etiquetas e leitores RFID fornecidos e instalados pela Wavex.

De acordo com Mag Tan, Wavex e Evantek integraram o software RAPIDE com o software administração ambulatorial NCCS, sistema de fila para identificar a ordem em que os pacientes são recebidos e seu sistema de mensagens de texto SMS que contata pacientes.