RFID Noticias

Varejista britânica vê RFID como "experiência enriquecedora"

Giulio usa tecnologia RFID para saber quais vestimentas despertam interesse de clientes e para exibir uma tela sensível ao toque com informações sobre esses produtos

Por Claire Swedberg

29 de setembro de 2014 - A Giulio, uma loja de moda localizada em Cambridge, na Inglaterra, concluiu um teste de quatro meses com um sistema de identificação por radiofrequência (RFID) projetado para controlar quando roupas são colocadas ou removidas de um trilho de pendurar e exibir os dados em relação a esses produtos para os clientes. A varejista pretende agora instalar a tecnologia em locais adicionais dentro de sua loja.

A solução, conhecida como e-rail [ferrovia eletrônica], foi desenvolvida pela Friendly Technologies e inclui o que a empresa chama de Silent Tags [etiquetas silenciosas], porque respondem a uma leitura só quando reconhecem a senha do leitor. O sistema também vem com software para gerenciar os dados lidos e recolhidos e, assim, permitir que se saiba quando uma peça é colocada ou removida de um trilho. A loja pretende expandir o teste da tecnologia para ampliar o número de seus produtos pendurados nos trilhos ou empilhados em prateleiras.

Um leitor RFID instalado em cada extremidade de um e-rail detecta quando os itens pendurados são colocados ou removidos
Humberto Moran, diretor-gerente da Friendly Technologies, estabelece uma distinção entre o EPC Gen 2 convencional, com tag RFID passiva UHF, e leitores RFID e a tecnologia de rastreamento RF proprietária da Friendly, que ele diz que usa um protocolo diferente para identificação (embora os leitores UHF da empresa e tags silenciosas passivas também possam operar com a norma ISO 18000-6C). O sistema foi projetado para modificar o sistema RFID tradicional, diz ele. "Enquanto as etiquetas RFID passivas tradicionais simplesmente respondem a um interrogatório, enviando um número de identificação, no caso de sistema de rastreamento RF Friendly, os leitores transmitem um único identificador mutável para cada tag silenciosa, permitindo ao chip UHF passivo da tag responder apenas se reconhecer o identificador. Este processo de identificação de uma tag, atribuindo-lhe uma identificação única, é o que a empresa descreve como uma abordagem inovadora. O leitor identifica uma tag e atribui-lhe um ID de 16-bits temporário, exclusivo, para em seguida verificar a presença contínua de cada tag. Porque a identificação temporária é menor do que o número da etiqueta EPC, o processo de transmissão é mais rápido, diz Moran. Além do mais, uma vez que o ID é transmitido do interrogador para a tag "e não o contrário", acrescenta, "a confiabilidade do sistema é significativamente superior à dos sistemas RFID convencionais".

As Silent Tags também podem usar o padrão EPC Gen 2 RFID, para responder a qualquer leitor EPC Gen 2 sem a necessidade de um identificador específico. A Frendly Technologies fabrica seus próprios interrogadores, enquanto usa etiquetas RFID off-the-shelf UHF e as modifica para trabalhar com o protocolo de rastreamento RF proprietário.