RFID Noticias

Hospital infantil rastreia anestésicos

O objetivo da instituição é melhorar a eficiência e segurança dos pacientes, garantindo que o medicamento certo esteja sempre disponível e dentro do prazo de validade

Por Claire Swedberg

22 de agosto de 2014 - O gerenciamento de medicamentos utilizados pelos anestesistas durante uma cirurgia é crítico, pois é fundamental garantir que o produto esteja disponível quando necessário. Para automatizar esse processo, economizando tempo e evitando desabastecimento, o Hospital Infantil Rady, de San Diego, nos Estados Unidos, está empregando um sistema de gestão de medicamentos fornecido pela O MEPS Real-Time, que emprega tag RFID passiva de UHF.

O Hospital Infantil Rady é uma instalação de 520 leitos pediátricos filiada à School of Medicine, da University of California, San Diego. O Rady, maior hospital infantil da Califórnia, tratou mais de 192 mil crianças doentes em 2013.

Quando um técnico de farmácia coloca uma bandeja de medicamentos com etiquetas RFID dentro do carrinho Intelliguard e fecha a porta, a tela de vídeo exibe uma lista de medicamentos, indicando se algum deles estiver faltando ou com validade expirada
Cada vez que um anestesista remove uma medicação da gaveta e o utiliza, a droga tem de ser reposta. Isso requer um processo manual pelo qual o pessoal da sala de operação visualmente verificar apenas os itens que podem estar faltando, mas também quais podem em breve expirar. O hospital não tem medido especificamente quanto tempo leva para validar e repor todos os medicamentos dentro de um carrinho de anestesia, diz Ken Schell, farmacêutico-chefe do Hospital Infantil Rady, "mas é um tempo significativo".

O hospital procurou uma solução automatizada que pudesse evitar erros, melhorar a gestão de estoques e otimizar o uso de pessoal, diz Schell. A outra preocupação, segundo ele, era uma questão de segurança: assegurar que a medicação nunca ficasse indisponível e que as drogas que se aproximam dos prazos de validade possam ser facilmente identificadas e removidas.

Em 7 de julho, o sistema de gestão de medicamentos Intelliguard do hospital instalou o O MEPS Real-Time. Até o momento, diz Schell, o MEPS tem marcados 17.000 medicamentos, insumos aproximadamente 200 bandejas (cada um com sua própria tag RFID) e dezenas de trabalhadores treinados.

O MEPS oferece várias soluções Intelliguard baseadas em RFID para o setor de saúde, incluindo um gabinete de temperatura controlada e uma unidade de distribuição automática. No ano passado, a empresa lançou seu sistema de gestão de medicamentos Intelliguard, após um julgamento em Sharp Memorial Hospital, de San Diego, que durou de dezembro de 2010 a agosto de 2011. A solução consiste em um sistema "tudo-em-um-carrinho" (assim chamado porque serve tanto como um dispenser de medicamentos e um sistema de gerenciamento de inventário) que armazena as bandejas de medicação e pode ser usado em todo o hospital, explica Shariq Hussain, CEO do MEPS. O carrinho vem com um leitor embutido Impinj Speedway Revolution RFID reader que pode ser usado para codificar novas tags, validar os itens da bandeja e fornecer detalhes sobre quais medicamentos podem estar faltando ou vencendo. O MEPS Real-Time também tem sua própria etiqueta adesiva UHF passiva, feita com um chip Impinj Monza 4 chip e uma antena com base no design de referência B42 da Impinj.