RFID Noticias

Encanamentos são rastreados no subsolo

A companhia uruguaia South American está testando uma solução UHF passiva da IDMeters, que foi projetada para localizar tubos acima ou abaixo do solo

Por Claire Swedberg

15 de agosto de 2014 - A empresa de tecnologia uruguaia IDMeters está lançando uma solução de RFID UHF para ser utilizada por companhias de água, gás, eletricidade e petróleo. O sistema foi projetado para identificar tubos no solo ou subsolo, além de ajudar o pessoal destas empresas a realizar serviços de manutenção por meio de um leitor portátil, e identificar e relatar problemas de adulteração ou outros relativos a dutos.

A IDMeters desenvolveu o software para tubos e tags, além de leitores de mão, para a empresa South American ao longo de quatro anos e atualmente está testando o sistema. Enquanto isso, diz Enrique D'Amato, presidente e CEO da IDMeters, a solução está disponível para outras empresas governamentais e privadas, bem como para ajudá-las de modo mais eficiente a identificar tubos e coletar dados de leitura. O sistema também protege as empresas contra fraudes, determinando se um medidor foi adulterado e, por exigir que os funcionários coletem os dados de consumo obrigatoriamente no local do medidor, garante assim que a informação não é fraudulenta.

A empresa de água usa a solução RFID UHF passiva da IDMeters para localizar tubos acima ou abaixo do solo
A IDMeters e sua empresa irmã, a Identis RFid Systems, fornece uma variedade de soluções de baixa e alta frequências, além de RFID UHF na América do Sul, como o rastreamento de animais e aplicações industriais. Por exemplo, a Identis tem projetado e fabricado um leitor de mão utilizado no Uruguai para ler tags LF presas ao gado e animais de estimação. Desde o desenvolvimento do leitor, a empresa também criou uma tag de dupla frequência, conhecida como Urutag, destinada a permitir a leitura mais rápida de IDs de gado via UHF em vez de leitores LF. A Urutag contém chips e antenas internas em LF e UHF.

De acordo com D'Amato, que também é o presidente e CEO da Identis, a Urutag foi desenvolvida em resposta aos pedidos dos agricultores, para permitir a utilização de um maior alcance de leitura enquanto cumpre as exigências do governo uruguaio de que uma etiqueta de identificação de 125 KHz LF seja adotada para cada animal do rebanho. "O sistema UHF, usado na etiqueta de orelha, traz dados muito mais rápidamente e leituras mais precisas, oferecendo a possibilidade de contar o gado no prazo", afirma D'Amato. "Este benefício operacional é muito importante para o proprietário da fazenda, permitindo saber, em poucos minutos, tudo o que acontece com o seu gado, algo que as tags LF auriculares não podem fazer". A Urutag ainda não está em uso, explica, porque o contrato atual do governo para uso de tags não permite aplicação da tecnologia UHF.

Enrique D'Amato, da IDMeters
A Identis também tinha desenvolvido uma solução, conhecida como Pegasus, para ser usada por agências governamentais para controlar armas e outros itens que exigem um alto nível de segurança. Este sistema inclui software feito por encomenda e as etiquetas da Identis e leitores Pegasus para interrogar essas tags no campo.

Cerca de quatro anos atrás, a empresa concessionária se aproximou da Identis RFID, procurando a ajuda da empresa no gerenciamento de sua infraestrutura de tubulações e medidores usando uma variação do sistema Pegasus. A empresa procurou garantir que os medidores localizados ao longo de uma vasta área geográfica não fossem violados. Também buscava-se a capacidade de localizar facilmente um tubo.