RFID Noticias

Instalação nuclear testa controle de tubulação

A solução visa a identificar problemas em soldas de tubos, com precisão, por meio de um leitor portátil e imagens radiográficas

Por Claire Swedberg

24 de julho de 2014 - A empresa francesa de soluções para rastreamento Beweis desenvolveu um sistema de RFID para verificar se tubos foram devidamente soldados em usinas nucleares e instalações petroquímicas, e para acompanhar a solidez destas soldas por meio de imagens radiográficas. A solução da empresa está sendo testada pelo PACA Labs, do governo francês, como parte do que é conhecido como projeto Be-Tag, financiado pelo órgão federal Risk Division, com serviços de consultoria prestados por Institute of Welding Group, the French National RFID Center e a cidade de Martigues. O teste, que está sendo realizado em uma usina de energia nuclear operada pela Areva, consiste em fixar etiquetas RFID EPC Gen 2 passivas de ultra-alta frequência (UHF) em soldas de tubulação e em imagens radiográficas dessas soldas, a fim de provar que as soldas não têm falhas quando estão sendo instaladas em locais cuja integridade é fundamental. As marcas de solda e de imagem são interrogadas no campo para melhor identificar cada solda e para confirmar que a imagem corresponde a uma solda especial.

A Beweis fornece sua tecnologia de RFID para o setor militar, bem como para a indústria automotiva e outras, de acordo com Sylvain Crozet, diretor técnico da Beweis. Ao longo do ano passado, o Be-Tag – que a empresa se refere a um sistema anti-falsificação de solda – foi desenvolvido para uso em tubulação para ligar um ponto soldado particular dentro de um tubo com dados referentes à inspeção, incluindo os dados de imagem radiográfica, o tempo de soldagem e a localização física da película radiográfica da solda. Dessa forma, os usuários não só podem localizar com precisão uma solda especial, mas também autenticar a identidade dessa tubulação e soldagem.

Para verificar se uma imagem radiográfica é da solda apropriada, a Beweis coloca dois quadrados de bronze, cada um marcado com uma letra do alfabeto, em cada tag do tubo. A imagem mostra o interior da tag, que normalmente é selada
Como os tubos são colocados para a construção de uma unidade nova ou ampliada, um soldador junta as peças no local. Cada solda é então testada por radiografia para garantir sua integridade, diz Romain Knezevic, engenheiro de software da Beweis. "Sem uma tag RFID para identificar a solda da tubulação, um trabalhador geralmente marca a solda por meio de uma placa de chumbo, em que um número de série é carimbado".

Se um tubo não está devidamente soldado ou representa risco de ruptura, a preocupação são os riscos quando há movimento de líquidos altamente tóxicos ou voláteis. Para melhor identificar a integridade de cada solda, as imagens radiográficas são armazenadas em um envelope que os protege da luz e da poeira.

Com o Be-Tag, uma etiqueta RFID contendo um chip Alien Technology Higgs-3 é amarrada à seção soldada da tubulação e o número de identificação exclusivo da tag tem no software Beweis as informações sobre a solda, incluindo a data, o nome do soldador e o diâmetro do tubo. Para realizar essa tarefa, soldadores levam um computador portátil Motorola Solutions Psion Workabout Pro 3 para ler a tag e fazer a entrada de dados necessários. A informação sobre a localização, com base nos dados de GPS provenientes do dispositivo portátil, também é armazenada no software, bem como na própria etiqueta. O software pode limitar o acesso à leitura dos dados apenas aos indivíduos autorizados.

O software reside em um servidor local hospedado pelo usuário – neste caso, pela Areva. Os usuários autorizados, incluindo os inspetores e os desenvolvedores, podem acessar essas informações.

Quando a solda não for concluída e a tag estiver conectada, as imagens radiográficas são tomadas e o número de identificação exclusivo da tag (conhecido como o ID Segredo) é impresso em uma etiqueta de papel não-RFID, conhecido como um rótulo vista. A etiqueta é então relacionada a esse pacote.