RFID Noticias

College Football Hall of Fame será inaugurado com RFID

Quando o museu abrir suas portas em agosto, os visitantes receberão credenciais com tags RFID para adaptar os conteúdos de modo personalizado

Por Claire Swedberg

26 de junho de 2014 - Quando o novo College Football Hall of Fame, de Atlanta, nos Estados Unidos, abrir suas portas em 23 de agosto de 2014, os visitantes poderão desfrutar de experiências personalizadas em exposições localizadas em toda a instalação. O sistema RFID UHF, fornecido pela Stark RFID, inclui etiquetas RFID nas credenciais dos visitantes, que adaptam conteúdos especificamente para cada indivíduo. Há 100 leitores instalados nas entradas, exposições e outras partes da instalação e o software residente nos seis servidores gerenciam os dados coletados, não só para apresentar informações para os visitantes, mas também para rastreá-los para análise de informações como quanto tempo permanecem em cada exposição e onde ocorrem gargalos. A solução também permite aos visitantes coletar vídeos e fotografias relacionadas a sua visita e compartilhar com amigos via redes sociais.

O College Football Hall of Fame é de propriedade da National Football Foundation (NFF), uma organização educacional sem fins lucrativos que visa a promover estudantes atletas que jogam futebol amador. O museu, uma instalação de US$ 66,5 milhões, foi projetado para levar entretenimento e informações sobre o futebol americano praticado em faculdades para seus fãs – esperam-se 1 milhão ou mais de visitantes por ano. Serão representadas, de alguma forma, todas as 767 equipes de futebol americano universitário nos Estados Unidos, fornecendo informações, vídeos e fotos sobre as equipes, de acordo com Marcus Margerum, vice-presidente de marketing e comunicações.

O Hall da Fama instalará leitores RFID em suas várias exposições, permitindo oferecer uma experiência interativa e personalizada aos visitantes
O Hall da Fama pretende ser mais do que um museu, Margerum explica: seu objetivo é proporcionar uma experiência interativa conectando visitantes a seu time favorito, além de proporcionar uma visão ampla do cenário do futebol em sua totalidade.

O museu tem uma parede de 52 metros de comprimento composta de telas para a visualização de vídeos das grandes equipes de futebol universitário, incluindo momentos específicos durante os jogos, entrevistas com jogadores e treinadores, e ainda fotos e estatísticas. Em outra parede, a instalação exibirá os capacetes de futebol de todas as grandes equipes. O Hall da Fama se destina a permitir que os indivíduos não só experimentem o mundo da bola como um todo, mas também possam se concentrar em suas equipes favoritas.

A iniciativa exigiu quase dois anos de desenvolvimento de uma solução de RFID, diz Lance Burnett, presidente da Stark RFID. O NFF primeiro começou a trabalhar com a Stark RFID para criar uma solução baseada em RFID, depois que conheceu a solução do Georgia Aquarium, que permite informações personalizadas para cada indivíduo. Os organizadores da NFF procuraram usar a tecnologia para trazer personalização para o novo Hall da Fama.

Quando as portas da instalação se abrirem, o sistema terá uma credencial que cada visitante comprará para ter acesso ao Hall of Fame (preço da credencial inclui a admissão no museu). Cada credencial contém um chip Alien Technology ALN-9654 "G" RFID codificado com um número de identificação correspondente aos oito dígitos impressos no verso da credencial. O usuário pode simplesmente levar a credencial para toda a instalação, afirma Margerum.

O uso da credencial ainda fornece dados para análise de negócios úteis à NFF, como ver os movimentos dos fãs em toda a instalação e determinar quais exposições são populares, como quanto tempo os visitantes permanecem em cada local e quando e onde ocorrem gargalos. O NFF também pode compartilhar esses dados com seus patrocinadores das exposições, de modo que esses patrocinadores tenham uma ideia melhor de como as suas exposições estão sendo recebidas.