RFID Noticias

Fiesp abre espaço para a tecnologia RFID

Evento Lets, criado para discutir amplamente a infraestrutura no Brasil, trouxe para a pauta um painel sobre "RFID em processos logísticos"

Por Edson Perin

28 de maio de 2014 - A tecnologia de identificação por radiofrequência (RFID) está ganhando espaço nas discussões empresariais, inclusive dentro de temas abrangentes como infraestrutura, que engloba os grandes desafios do Brasil em diversos segmentos, de transportes a telecomunicações, passando por saneamento básico e energia. A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), por exemplo, realizou na semana passada o Lets – Planejamento Integrado da Infraestrutura, um fórum de discussão sobre as melhorias necessárias na infraestrutura do Brasil, feito em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). No congresso deste ano, um dos assuntos em pauta foi a identificação por radiofrequência, abordada no painel "RFID em processos logísticos".

O painel foi mediado por Helcio Binelli, da Fiesp; com a participação de Alessandro Santiago, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT); Wilson Cruz, da GS1 Brasil; e eu, Edson Perin, editor do RFID Journal Brasil.

Lets – Planejamento Integrado da Infraestrutura: fórum empresarial discute RFID entre as melhorias para a infraestrutura no Brasil
No ano passado, eu já tinha participado de um painel no evento da Fiesp que evoluiu para o Lets, também em São Paulo. Na ocasião, debati sobre Tecnologia da Informação (TI) e as oportunidades empresariais neste segmento com diversos representantes de empresas de tecnologia, incluindo grandes corporações como HP e Microsoft.

Levei para a pauta a RFID como maneira de melhorar uma série de processos dentro do mundo empresarial, começando pelo controle de cadeias de suprimentos, mas avançando até para o marketing e outros departamentos corporativos. A palestra de 2013 trouxe à tona a RFID e, agora neste ano, a discussão sobre a tecnologia ganhou um painel próprio, dentro das discussões sobre a infraestrutura de telecomunicações.

No painel deste ano, fiz a primeira palestra, apresentando de um modo mais generalista como funciona a tecnologia e como cada setor tem utilizado a RFID para dinamizar e reduzir custos nos negócios. Em seguida, apresentei casos de sucesso como o da Vale, do Comando da Segunda Região Militar, Grupo Pão de Açúcar - Companhia Brasileira de Distribuição e Petrobras.

Na sequência, Cruz, da GS1, falou sobre como usar a RFID para garantir o que o cliente quer, na hora em que ele quer e no menor preço possível. Um dos desafios apresentados por Cruz no qual o uso da RFID pode trazer grandes benefícios no Brasil se refere às operações de recall de produtos. "O recall no Brasil ainda não é padronizado e não tem uma regulamentação específica", afirmou Cruz, apontando a tecnologia como maneira para facilitar os processos e encurtar os prazos de realização. "Até a aduana nos Estados Unidos está usando recursos com o padrão da GS1. No Brasil, estamos iniciando este processo agora".