RFID Noticias

Ferro-velho rastreia peças de carros em seu pátio

Empresa dos Estados Unidos está usando etiquetas RFID emborrachadas para saber do paradeiro de partes recuperadas e para desencadear gravações de vídeo

Por Claire Swedberg

10 de janeiro de 2014 - Um ferro-velho dos Estados Unidos está usando tags emborrachadas de identificação por radiofrequência (RFID), da Etiflex, para rastrear carros e peças recuperadas, por meio de leitores montados em empilhadeiras que identificam o paradeiro das partes que seus trabalhadores removeram dos veículos, dentro do pátio.

As tags, feitas pelo processo patenteado TrazeTag de encapar inlays RFID em um invólucro de borracha resistente e flexível, foram concebidas para ambientes hostis. Um exemplo é o ferro-velho para onde são mandados carros para serem destruídos, desmontados para retirar pecas ou, ocasionalmente, vendidos.

Um ferro-velho dos EUA, que pediu sigilo, anexou tags TrazeTag no painel de cada carro por um adesivo, quando os veículos chegavam ao pátio. As tags, feitas com chips Impinj Monza 4, são interrogadas por leitores RFID montados em empilhadeiras. Cada ação liga uma câmera de vídeo também montada no veículo - para gravar o que está ocorrendo. Os dados de vídeo, armazenados em um servidor na nuvem, permitem à empresa saber a quais etapas cada veículo foi submetido e sua localização.

Uma etiqueta TrazeTag é presa no painel de cada veículo
A TrazeTag foi projetada para durabilidade, de acordo com Leandro Margulis, fundador da TrazeTag. Moldada em borracha, a tag pode suportar impactos pesados, por isso, os clientes são geralmente de setores de gestão de pátios, petróleo e gás, defesa etc. As tags podem vir com chips variados, de alta frequência (HF) e ultra-alta frequência (UHF), da NXP Semiconductors ou Monza 4 para UHF.

O ferro-velho representa um ambiente desafiador, porque as tags estão cercadas por metal e expostas a temperaturas extremas e água. A etiqueta é posta em borracha para melhorar a legibilidade na presença de metal (que pode interferir com as transmissões RF), e para proteger o chip e a antena de água ou outros danos ambientais. O objetivo do usuário final foi para tornar possível acompanhar cada veículo a partir do momento em que entra no pátio até ser destruído ou vendido. A maioria dos carros permanece no pátio antes de sofrer o processo de desmanche e, finalmente, terminam no triturador, onde são então compactados e reciclados.

Manter o controle dos veículos dentro de um pátio grande não é tarefa fácil, já que muitas vezes são empilhados em cima uns dos outros. Além do mais, os espaços físicos podem ser muito grandes. No caso do ferro-velho que usa etiquetas RFID da TrazeTag, o objetivo foi identificar a localização de cada veículo automaticamente, usando uma combinação de RFID passivo e imagens de vídeo.