RFID Noticias

Varejista online francês acelera vendas em liquidações relâmpago

A Vente-privee.com usa etiquetas UHF passivas da Tageos para garantir que os produtos sejam acompanhados no processo de recebimento, promoção e comercialização

Por Claire Swedberg

2 de janeiro de 2014 - A varejista online europeia Vente-privee.com vende uma grande variedade de produtos somente para membros em liquidações relâmpago, nas quais os produtos são brevemente oferecidos a preços reduzidos. A natureza do negócio exige que a empresa mova produtos, tais como relógios, roupas, eletrônicos e calçados, rapidamente. Trata-se de uma operação que envolve recebimento de amostras na sede da empresa em La-Plaine-Saint-Denis, perto de Paris, preparar fotografias, vídeos e outros materiais sobre os produtos e, em seguida, retornar as amostras ao fornecedor enquanto prossegue com a venda relâmpago. A maioria das amostras permanece no local por apenas algumas semanas antes de ser devolvida ao fornecedor.

A empresa agora está empregando uma solução de identificação por radiofrequência do integrador de sistemas francês Frequentiel, que consiste no software do fornecedor e etiquetas RFID da Tageos, para identificar cada amostra etiquetada, assim como onde está e aonde foi. Desta forma, o varejista pode gastar menos tempo a procura de amostras e garantir que os itens prossigam nos processos apropriados antes de serem devolvidos para o proprietário-fornecedor.

Lilian Mariani, diretor de projeto da Vente-privee.com (esq.) e Élodie Largenton, gerente da empresa de projeto de produção de vendas (Fotos: Émilie Carpuat / Vente-privee.com )
"Nos últimos quatro anos, o número de amostras foi multiplicado por seis", diz Lilian Mariani, diretor do projeto na Vente-privee.com. Antes de instalar a solução RFID, a empresa utilizou uma planilha Microsoft Excel para coletar os movimentos das amostras na instalação, com membros da equipe compartilhando o arquivo de planilha com outras pessoas via e-mail. Se uma amostra estivesse faltando, o pessoal mandava um e-mails tentando localizá-la. "O principal desafio era saber exatamente a localização de cada amostra a todo momento", Mariani afirma. Embora a empresa considerasse a utilização de códigos de barras, o processo de digitalização de cada item seria muito demorado, especialmente porque cada amostra sofre vários procedimentos e, portanto, precisa ser verificada várias vezes.

Em 2011, a Vente-privee.com começou a procurar maneiras automatizados para acompanhar as amostras. A empresa também realizou estudos de viabilidade e testes de outras três soluções, antes de selecionar o sistema de RFID da Frequentiel.