RFID Noticias

Profissionais recebem certificação brasileira pela primeira vez

Dos sete especialistas inscritos no programa do RFID CoE e GS1, cinco comprovaram conhecimentos avançados sobre identificação por radiofrequência

Por Edson Perin

19 de dezembro de 2013 - Cinco brasileiros de um total de sete inscritos receberam pela primeira vez a Certificação Profissional RFID oferecida pelo Centro de Excelência em RFID (RFID CoE) e pela GS1 Brasil, nesta semana, em São Paulo. A certificação destina-se a comprovar os conhecimentos profissionais no campo da identificação por radiofrequência e foi criada neste ano para atender a demanda tanto destes profissionais como de muitas empresas, que já começam a exigir garantias antes de contratar mão-de-obra especializada (veja mais em RFID CoE e GS1 lançam programa de certificação no Brasil).

Segundo a professora Renata Rampim, do RFID CoE, que ministrou parte do curso preparatório para a Certificação Profissional RFID, foram atingidos com sucesso os objetivos de prover um sólido embasamento para a compreensão do ecossistema e princípios de engenharia de RFID; demonstrar os conceitos cobertos no exame de Certificação Profissional RFID; preparar adequadamente os alunos para enfrentarem uma certificação; e simular a realização de um exame de certificação RFID e suas particularidades.

"O curso exemplificou fatos que ocorrem e que não são explicados no dia a dia do profissional em RFID, tais como leituras de etiquetas fantasmas, o porquê do raio mínimo de curvatura de um cabo, dentre outros", explicou Renata. "Enfim, o curso abrangeu todos os domínios que um profissional em RFID deve conhecer".

Com foco intensivo no exame de certificação, as duas organizações criaram um curso preparatório que contempla 11 domínios, entre eles Zona de Interrogação; Teste e Depuração do Sistema; Padrões e Regulamentações; Padrão EPCglobal; Etiqueta; Seleção de Design; Instalação; Análise do Local da Instalação; Radiofrequência (RF); Periféricos RFID; e Interface Usuário-Leitor (Middleware).

As aulas presenciais prepararam os candidatos para o exame de certificação, no qual a pontuação mínima foi de 70% em cada um desses domínios. A prova teve 80 questões de múltipla escolha, em português. O curso preparatório foi ministrado no RFID CoE, em Sorocaba (SP), e o exame de certificação em São Paulo, na sede da GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação.

De acordo com Renata, os alunos que participaram deste primeiro curso tinham alto nível de conhecimento. "Desta maneira houve muita interação, enriquecendo o conteúdo ainda mais. As 80 questões de múltipla escolha abordaram todos os domínios com a finalidade de avaliar de fato o conhecimento do aluno. É com muito prazer que pude contribuir com esta iniciativa de implementar esta certificação no Brasil", concluiu a professora.

Para realizar o exame e participar do processo de certificação, os pré-requisitos foram os cursos RFID Implementation e RFID Middleware, ambos oferecidos pelo RFID CoE. Uma alternativa para o profissional seria ter pelo menos dois anos de experiência em RFID, trabalhando com conceitos avançados da tecnologia. A certificação vale por um período de três anos e, ao término, uma nova certificação deve ser obtida pelo profissional. Nesta ocasião, o participante pode optar por refazer o curso, para sua atualização, ou somente o exame.

De acordo com o engenheiro Armando Lucrecio, M.Sc. e gerente do RFID CoE, a parceria do RFID CoE com a GS1 cria a primeira certificação em RFID do Brasil. “A promoção e apoio aos padrões GS1 EPCglobal para RFID são sempre importantes, pois representam a normalização de procedimentos nos desenvolvimentos de sistemas de RFID e dão aos profissionais uma evidência para o mercado de que conhecem os padrões e como aplicá-los”, afirma Lucrecio. “Dessa forma, permitem aos sistemas serem abertos e funcionarem com qualquer tipo de infraestrutura e tags”.

Wilson Cruz, executivo da GS1 Brasil, reforça que o RFID CoE é um laboratório acreditado pela GS1 para realizar uma série de testes na área de RFID e, além disso, possui um programa de capacitação bem consolidado. “A nossa parceria é muito importante e já vem de muitos anos. O acordo para realizar esta certificação surgiu quase que naturalmente, visto que o mercado é carente de uma formação estruturada e embasada”.