RFID Noticias

T-Systems consolida divisão M2M no Brasil

A unidade de negócios Machine-to-Machine (M2M) conta com 14 profissionais e expectativa de conquistar 25 clientes em 12 meses

Por Edson Perin

22 de novembro de 2013 - Com base no conceito M2M ou Machine-to-Machine, a T-Systems do Brasil, subsidiária da companhia global de serviços de Tecnologia da Informação e de Comunicações (TIC) do grupo Deutsche Telekom, acaba de anunciar a consolidação de uma divisão que, no início de outubro, completou seu primeiro ano de operação. A unidade de negócios M2M foi concebida para se tornar um centro de excelência neste novo segmento de mercado, com a meta de conquistar 25 clientes no Brasil nos próximos 12 meses.

De acordo com o presidente da T-Systems do Brasil, Ideval Munhoz, com a consolidação da divisão M2M, a companhia se posiciona para atuar em um mercado que, ao contrário do que muitos acreditam, já está em ebulição. "Um estudo recentemente divulgado pela Analisys Mason [M2M Device Connections and Revenue - Worldwide Forecast 2013-2023] aponta que já neste ano o mercado de conexões máquina a máquina deverá movimentar US$ 10 bilhões", afirma.

Além disso, Munhoz lembra que o mesmo estudo aponta utilities como setor no qual o volume de conexões M2M mais cresce e será o responsável por 67% das conexões até 2023. E, ainda, os setores automotivo e de transportes responderão por 28% da receita total do setor em 2013. "Há mais de 20 anos atuamos em projetos de missão crítica para coleta de dados em chão de fábrica e estamos trabalhando em projetos muito interessantes nos setores automotivo e manufatura”, declara Munhoz. “Temos hoje uma equipe com mais de 50 profissionais altamente capacitados em coleta de dados de produção, monitoria de dispositivos e gestão completa do processo fabril".

Carlos Ribeiro, da T-Systems
O conceito M2M tem como pilar as tecnologias de identificação por radiofrequência (RFID), como explica o diretor da divisão M2M da T-Systems do Brasil, Carlos Ribeiro. “Estamos falando de máquinas e dispositivos técnicos como veículos, contêineres, medidores de energia e sistemas de alarmes e sensores, trocando dados automaticamente entre si e com computadores, o que acarretará na evolução do mercado M2M e em uma nova revolução tecnológica, que mudará nossas vidas e corporações: a Internet das Coisas [IoT ouInternet of Things]”.

De acordo com Ribeiro, a T-Systems considera o conceito estratégico devido às grandes transformações que exigirá dos processos industriais, logísticos e principalmente de vendas, por meio da personalização de produtos e atendimentos. “Este fato exigirá uma grande infraestrutura de TI, além de possibilitar estudos estratégicos com ferramentas de Big Data, que é a vocação da T-Systems”.

A nova divisão utiliza o conceito como base para o desenvolvimento de projetos diferenciados, voltados para o mercado corporativo. De acordo com Ribeiro, a equipe de 14 profissionais formada por ele tem se dedicado ao desenvolvimento de soluções específicas para setores como o automotivo, manufatura, logística e saúde. O executivo lembra que a troca de dados automática entre objetos e sistema permitirá diagnósticos, manutenção remota de equipamentos e coleta automática de dados de consumo, como água e luz. "Essas são apenas algumas das aplicações que estão começando a se tornar parte de nosso dia a dia", afirma Ribeiro.

Para atender a demanda atual, a divisão M2M da T-Systems do Brasil desenvolveu uma série de soluções com aplicações práticas em diversas áreas, como Serviços de visibilidade corporativa com RFID – o uso da identificação por radiofrequência permite aplicações como gestão física de ativos, gestão de embalagens retornáveis e gestão de pátios, entre outras; Automotivo e Manufatura – sistema de produção baseado em RFID, para monitoramento remoto da infraestrutura técnica de automação industrial, que traz como ganho uma visão geral sobre os equipamentos, maior segurança, redução da manutenção e custos operacionais;