RFID Noticias

Distribuidor de frutas de Taiwan rastreia produção

A Cooperativa Je-Nong reduz custos trabalhistas utilizando caixas de plástico com tags passivas UHF EPC embutidas

Por Claire Swedberg

28 de outubro de 2013 - A Cooperativa Je-Nong, produtora de frutas de Taiwan, está utilizando uma solução baseada em RFID para documentar o recebimento e o processamento de frutas frescas em sua unidade de Miaoli County. Ao utilizar etiquetas RFID passivas UHF integradas em suas caixas de plástico, a empresa pode monitorar cada passo aos quais as frutas são submetidas antes de serem transportadas para lojas de todo Taiwan, China, Japão e Coréia.

O sistema, desenvolvido pela EPC Solutions Taiwan, é composto por tags UHF passivas, embutidas em caixas de plástico que são lidas durante o processamento. A solução também inclui tags RFID ativas com sensores situadas em unidades de refrigeração para transmitir dados de temperatura aos software de back-end fornecido pela Taiwan Futaba Electronics .

A Je-Nong está usando grades de plástico com tags RFID durante o processo de encaixotamento
A Cooperativa Je-Nong processa por ano um total de 350.000 kg de uvas, peras, laranjas, mangas e outras frutas. Depois de receber os frutos provenientes de Taiwan, a cooperativa limpa, desinfeta e encera as frutas. Os produtos seguem então para a câmara fria até serem enviados para as lojas. A tarefa de acompanhamento das frutas a partir da seleção até a conclusão dos processos em seu próprio site é bastante complexa. A Je-Nong empregava antes da RFID uma série de métodos de controle manuais, muito demorados e que resultavam no desperdício de material de embalagem. Com as etiquetas de RFID UHF passivas e com os leitores implantados em locais específicos, a companhia agora sabe quando ocorre a colheita, assim como quando cada grade passa pelos variados processos. As etiquetas ativas de 2,4 GHz transmitem a temperatura e a humidade dentro de cada refrigerador em que o fruto está armazenado.

Antes da instalação da solução de RFID, os agricultores colhiam as frutas e as carregavam em caixas de papelão que, em seguida, eram enviadas para a Je-Nong. A cooperativa transferia os frutos para caixas de plástico que podem suportar processos de limpeza, desinfecção etc. Assim, não era apenas demorado, mas também um desperdício, uma vez que as embalagens de papelão não podiam ser reutilizadas. Os funcionários da Je-Nong então mediam e registravam o peso do produto manualmente.

Como os agricultores fazem pulverizadores químicas para matar insetos ou pragas nos campos, os frutos devem ser submetidos a uma limpeza rigorosa, a fim de assegurar que todos os vestígios de produtos químicos sejam removidos do produto antes da embalagem. Para isso, o fruto passa por escovas rotativas e por uma máquina de lavar que pulveriza cada unidade.

A fruta passa através de um tanque de imersão cheio de uma solução de detergentes e amaciadores, de modo a remover a sujeira, bactérias ou insetos restantes. A cera é, em seguida, aplicada ao fruto para proteger de cicatrizes ou perda de humidade, o que também aumenta a vida útil do produto. Finalmente, o produto é colocado em um refrigerador, com temperatura e umidade monitorados por sensores, 24 horas por dia, sete dias por semana, segundo Chang Hsin-An, gerente geral da Je-Nong. Todos os dados são gravados e podem ser compartilhados com os clientes.

Para reduzir alguns custos trabalhistas gastos nestes processos, a Je-Nong começou a trabalhar com a Taiwan Futaba Electronics Co. e EPC Solutions de Taiwan em 2011 para desenvolver uma solução com tag RFID integrada em uma caixa de plástico, que pode ser exposta à água e a solventes e ao impacto do transporte, explica TH Liu, presidente de Soluções EPC de Taiwan.